Na conversa que teve há pouco com a cúpula do PMDB, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva Lula disse que gostaria de formar "uma relação de parceria estratégica com o PMDB na aliança eleitoral de 2006". "Ele disse que quer ver o PMDB unido, porque acha que o PMDB unido na coalizão de governo e na parceria eleitoral em 2006 é estratégica", relatou o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), que participou da reunião.

Segundo participantes do encontro, Lula deixou claro há pouco, no encerramento do encontro, que não concluirá a reforma ministerial até sexta-feira (11). O presidente do Senado relatou que Lula disse que ainda está discutindo nomes e cenários e que só deverá "bater o martelo em torno disso" até o começo da próxima semana.

Os senadores do PMDB e o líder do PMDB na Câmara, deputado José Borba (PR), lamentaram a ausência do ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo (PCdoB), da reunião. Nas avaliações de bastidor, eles consideram Rebelo fora do governo porque, segundo disseram, não se admite uma discussão sobre reforma ministerial com o coordenador político fora do debate.

Um dos presentes relatou também que, na conversa, o presidente sequer sinalizou que o deputado Eunício Oliveira (PMDB-CE) permanecerá no Ministério das Comunicações ou no governo. Segundo esse participante, o presidente disse que está conversando com todos os partidos, inclusive o PT. O mesmo parlamentar disse também que, ao contrário do que fora informado anteriormente, Eunício Oliveira não participou da reunião.