O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), comunicou hoje à nova líder do governo no Congresso, a senadora Roseana Sarney (PMDB-MA), que não comparecerá à solenidade de posse dela no cargo, marcada para 15 horas de hoje no Palácio do Planalto. Apesar da insistência da senadora, Calheiros alegou que se trata "de uma posse de governo e de um assunto interno do Palácio do Planalto que nada tem a ver com a presidência do Senado".

Calheiros, segundo interlocutores, cortou diálogo com o Palácio do Planalto após o episódio em que o ex-ministro Nelson Jobim desistiu da candidatura à presidência do PMDB sob alegação de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva passara a apoiar a candidatura do atual presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), à reeleição. O senador alagoano e seu grupo responsabilizam o ministro Tarso Genro (Relações Institucionais) articulador político do Planalto, pela virada do governo federal em favor da candidatura de Temer (SP).

Há três dias, Calheiros se recusa a atender os telefonemas de Genro – tanto as ligações feitas para a residência oficial do Senado quanto as chamadas para o Gabinete da Presidência do Congresso. Informado ontem por jornalistas de que o ministro Walfrido dos Mares Guia (Turismo) será o novo articulador político do governo, no lugar de Genro, Calheiros comemorou ostensivamente a notícia, elogiando Walfrido e sua habilidade política. Nos últimos dias, quando se refere à assessoria mais próxima do presidente Lula, Calheiros tem repetido o mesmo comentário: "O poder, às vezes, emburrece.