A representante do Porto de Leixões, em Portugal, Graça Maria Oliveira, estará segunda-feira (8), em Paranaguá, participando do 1º Seminário de Gestão Ambiental Portuária, que acontece até o dia 11 no Camboa Hotel. Promovido pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), o evento reunirá portos nacionais e internacionais e organismos ligados ao meio ambiente para tratar de um assunto considerado como uma das prioridades de um porto moderno.

A palestra ?O Porto e a Cidade? será apresentada por Graça Maria no segundo dia do evento, das 16 às 18 horas. ?Vou apresentar este tema em duas partes. A primeira mostra como a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) tem buscado revitalizar algumas zonas das margens do Douro, outrora utilizadas como cais de embarque, e que se encontravam degradadas?, disse. Segundo a palestrante, nas intervenções realizadas até ao momento, a APDL tem se preocupado em devolver as margens do Rio Douro à cidade, criando espaços de lazer que seguem elevados padrões arquitetônicos.

Na segunda parte da mesa de debates, Graça Maria dará um maior enfoque às questões ambientais e de segurança do Porto de Leixões, ?pois a relação entre os Portos e a comunidade envolvente passa pelo cumprimento de elevados valores ambientais e de segurança?, completou.

Questão principal

A relação porto-cidade vem sendo abordada em diversos portos do mundo e mereceu destaque no Seminário em Paranaguá por tratar-se de um assunto prioritário para a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina. A Mesa de Debates que contará com Graça Maria Oliveira, terá ainda a presença de Ana Claudia Bento Graf, da Procuradoria Geral do Estado do Paraná, Almir Bressan, Secretário de Indústrias e Serviços do Estado do Espírito Santo, Isabel Pont, do Porto de Barcelona, Adalmir José de Souza, Presidente da Associação Brasileira das Entidades Portuárias e Hidroviárias (ABEPH) e Franklin Castillo Diaz do porto chileno de Valparaíso. O grupo falará sobre as ações de integração e suas experiências. ?A experiência de discutir sobre a interação cidade-porto foi muito relevante para nós. Em conjunto assumimos projetos que beneficiam o crescimento turístico imobiliário e a gestão marítima portuária. Ambos os aspectos são importantes para o desenvolvimento das nossas atividades?, comentou Castillo Diaz, um dos debatedores.

Integração

Para Graça Maria Oliveira, embora a discussão aborde principalmente as questões urbanística, ambiental e de segurança, ela destacará a ação realizada no Porto de Leixões que, apesar do seu caráter comercial, tem uma intervenção ativa na diretrizes social e cultural. Segundo ela, além das intervenções efetuadas nos espaços junto ao Rio Douro, a APDL converteu, junto da área portuária, espaços desativados em duas infra-estruturas importantes de apoio à comunidade: o Auditório Infante D. Henrique e o Centro de Formação Afonso Nogueira Soares. ?No Auditório Infante D. Henrique são organizadas conferências, encontros, seminários, exposições, quase sempre a partir de temas marítimo-portuário, que potencializam uma maior aproximação da população ao porto?, disse a representante do porto português.

Um dos projetos mais recentes da APDL é a Exposição ?Leixões – Identidade e Memória de um porto?, que procurou sinalizar diversas dimensões que integram o processo de construção do Porto de Leixões, não apenas como infra-estrutura, mas também como identidade e memória de mais de um século de obra e vivência portuária.

Outro projeto realizado em Portugal trata das adaptações feitas em antigas oficinas, transformadas num Centro de Formação Profissional, criado para a formação não só da comunidade portuária de Leixões, mas também para cursos de formação dirigidos a jovens que querem entrar no mercado de trabalho. ?É de fato uma preocupação constante do porto o equilíbrio entre os ambientes portuário e urbano. Acredito que faz todo o sentido tratar o tema ?Portos e Comunidade? num Seminário dedicado à Gestão Ambiental Portuária, pois a minimização dos impatos ambientais decorrentes da atividade portuária é fundamental para o bom relacionamento com a comunidade envolvente?, finalizou.