O governador Roberto Requião autorizou nesta segunda-feira (01), em reunião no Palácio Iguaçu, a construção do Centro de Eventos de Morretes, orçada em, aproximadamente, R$ 2,5 milhões e que vai contar com vários atrativos, como espaço para shows, gastronomia, feiras, auditório para 500 pessoas, biblioteca, telecentro (pontos gratuitos de acessos à Internet), centro de geração de renda para atender a agricultura familiar.

O projeto, elaborado através da Secretaria de Obras Públicas, pretende aproveitar a construção de uma antiga fábrica de papel ? desativada desde os anos 80 ? que fica na região central do município. Ela será restaurada e ampliada. A previsão é que a obra seja entregue a comunidade em julho de 2006.

O secretário de Obras Públicas, Luiz Dernizo Caron, revelou que o imóvel pertence ao Estado, que o desapropriou no ano passado de uma massa falida. ?Este espaço muito possivelmente poderia ser destinado para outros fins, devido a sua localização privilegiada?, disse.

Ele também explica que a iniciativa da criação deste centro de eventos partiu do prefeito de Morretes, Helder Teófilo dos Santos. ?A idéia era transformar este imóvel, que foi uma indústria muito importante para a economia local, num novo instrumento de desenvolvimento local?, disse Caron.

Turismo

Para o prefeito de Morretes, o Centro de Eventos vai representar uma importante fonte de rendas para a economia da região.

?Morretes recebe do governo do Estado, uma das obras mais importantes do litoral. Primeiro porque o turismo em Morretes, que já é uma realidade, passa a ter uma sala de visitas, pois o prédio fica perto da estação de trem. E, em segundo, o governo está cuidando do patrimônio público, recuperando uma antiga fábrica que estava abandonada caindo em ruínas? declarou Helder Teófilo, ao agradecer a atitude do governador Roberto Requião. E acrescentou: ?O Centro de Eventos não vai servir só a Morretes, mas com certeza a todo o litoral?.

Cultura

A secretária da Cultura, Vera Mussi, presente na reunião, acredita que a recuperação de um patrimônio arquitetônico da cidade é um passo muito importante para a região, pois vai servir para o desenvolvimento cultural, através da biblioteca e de espaços para exposições de arte e artesanato local, ou seja, a arte popular. O prédio da antiga fábrica foi desapropriado através da Secretaria da Cultura.

Para ela, o governador vem constantemente fazendo com que o litoral tenha o apelo turístico que merece. ?Este também pode ser o primeiro passo para a criação de um corredor de integração cultural na região do litoral, como foi proposto pelo ministro da Cultura, Gilberto Gil, quando visitou o local?, acrescentou.

A área total do terreno é de 15 mil m² e a área construída de 5 mil m². O espaço também vai contar com uma grande área de paisagismo. Praticamente todas as instalações da antiga fábrica serão mantidas, inclusive a chaminé. Pela sua altura, ela possui um ponto visual muito grande e deve ser valorizada com iluminação. O objetivo é que as pessoas identifiquem o local pela chaminé.