Foto: AEN
Foto: AEN

Roberto Requião ressaltou os avanços na administração pública, durante a posse.

O governador Roberto Requião tomou posse na manhã desta segunda-feira (1.º) de seu terceiro mandato na chefia do Executivo do Paraná. Em sessão solene realizada na Assembléia Legislativa, Requião prestou o juramento de respeitar a Constituição Federal, assinou o termo de posse e fez o primeiro pronunciamento no novo mandato. Em seguida, Requião se dirigiu para uma solenidade ao lado do novo prédio do Centro Cívico, que será a sede do governo do Estado enquanto o Palácio Iguaçu for reformado.

Roberto Requião foi recebido às 8h55 pelo presidente da Assembléia Legislativa, Hermas Brandão, na rampa que dá acesso ao plenário da Casa. Acompanhado do vice-governador Orlando Pessuti, ele se dirigiu ao Salão Nobre da Assembléia, onde aguardou enquanto Brandão abria a sessão solene. A mesa foi composta, além de Brandão, pelo deputados estaduais Antonio Anibelli e Alexandre Curi; deputado federal André Zacharow; presidente do Tribunal de Contas do Paraná, Heinz Herwig; procurador de Justiça do Paraná, Milton Riquelme de Macedo; procurador geral do Paraná, Sérgio Botto de Lacerda; e pelo arcebispo Dom Moacir Vitti.

Cumprindo o que determina a Constituição do Paraná, Roberto Requião prometeu ?cumprir e fazer cumprir a Constituição do Estado do Paraná, observar as leis e promover o bem estar geral do povo paranaense?. O deputado estadual Antonio Anibelli leu o termo de posse no mandato, que vai até 1º de janeiro de 2011. Em seguida, o vice-governador prestou o compromisso constitucional e os dois assinaram o livro de posse. Logo depois, o presidente da Assembléia Legislativa os declarou empossados nos cargos.

Em seu discurso na Assembléia Legislativa, Roberto Requião fez um avaliação da disputa eleitoral e do mandato anterior. Ele ressaltou os avanços na administração pública na educação, na segurança e no apoio às pequenas empresas e na geração de empregos. Elogiou o trabalho dos servidores públicos paranaenses e deu algumas indicações de como será o novo mandato.