O governador Roberto Requião e o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, participaram, nesta quarta-feira, da inauguração da nova unidade do grupo Hexal ? Medicamentos, a segunda maior fábrica da empresa no mundo. “Mais interessante do que os reflexos na economia local é a produção de genéricos, que ajuda a abaixar os preços dos remédios no Brasil”, comentou o governador.

A Hexal do Brasil vai produzir todos os tipos de medicamentos genéricos, como antibióticos e para hipertensão. De acordo com Reinhard, a fábrica deverá entrar em operação comercial no mês de setembro, após obter autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A prescrição de medicamentos genéricos é lei no Paraná. O governador Roberto Requião sancionou, no dia 12 de agosto, a lei número 14.494 – que obriga os profissionais de saúde que atuam no sistema público ou credenciados pelo Estado que prescrevam medicamentos genéricos, como forma opcional.

“Este é o maior investimento da empresa fora da Alemanha e está numa região maravilhosa, localizada em ponto estratégico ideal para nossas operações na América Latina e, posteriormente, no Canadá”, ressaltou um dos presidentes mundiais da Hexal, Thomas Strüngmann ? que divide a fundação e a direção da empresa com seu irmão, Andreas, também presente na inauguração. A produção mensal da empresa deve ser de 4 milhões de comprimidos, nesta primeira fase.

Cerca de R$ 120 milhões foram investidos no pólo industrial que possui 32 mil metros quadrados de área construída e 300 mil metros quadrados de área total. “A Hexal já tem um laboratório em São Paulo, mas em proporção menor que a fábrica instalada no Paraná”, disse o presidente da empresa Reinhard Nordmann. O grupo alemão atua no Brasil desde 1999 e teve faturamento mundial de 1,12 bilhão de euros, em 2003.