O presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Marcelo Resende, esteve reunido agora há pouco com líderes do Movimento Sem-Terra (MST) no Distrito Federal. No encontro, na sede da superintendência do Incra no DF, foram apresentadas as ações do governo na reforma agrária.

Resende garantiu ao MST que na semana que vem começam a ser cadastradas as famílias acampadas em todo o país. Resende adiantou que o Incra vai atuar também dentro dos assentamentos já existentes, buscando melhorias para as famílias que vivem neles e desenvolvendo ações de recuperação com vista ao desenvolvimento dos assentamentos. Segundo ele, as condições em que se encontram os assentamentos, do ponto de vista de infra-estrutura, exigem do governo mobilização, não só do Incra, mas também de outros ministérios para aportar recursos.

No grupo que Resende recebeu havia 50 assentados, sob a liderança do coordenador nacional do MST no DF, Cledson Mendes, que apresentou ao presidente do Incra uma pauta de reivindicações para melhoria de infra-estrutura dos assentamentos no entorno do Distrito Federal, onde vivem duas mil famílias, que precisam de água, luz, estradas e postos de saúde.

Marcelo Resende disse aos assentados que o Governo Lula reconhece de forma democrática a autonomia e representatividade dos trabalhadores. ?Nós não vamos fazer política pública à revelia dos atores sociais. É com vocês que nós vamos continuar um novo programa de reforma agrária?, disse o presidente do Incra ao grupo de assentados do Movimento Sem-Terra (MST) na região do entorno do Distrito Federal.