São Paulo (AE) – O candidato à presidência do PT pelo Campo Majoritário, Ricardo Berzoini, afirmou hoje (17) que acredita numa vitória já no primeiro turno das eleições, que acontecem amanhã (18) em todo o País. "Eu estou convencido que vamos ter uma grande votação e que é possível, inclusive, vencer no primeiro turno", disse o candidato, após um encontro com militantes em Diadema. Ele aproveitou o último dia de campanha para visitar ainda os diretórios do partido em Mauá e Osasco.

Apesar da aposta, Berzoini ponderou: "Mas não é objetivo nosso vencer no primeiro turno. O objetivo é vencer as eleições, seja no primeiro ou no segundo". Para ele, o Campo Majoritário, que comanda o partido há dez anos, tem conseguido se recuperar, após ter alguns de seus principais membros envolvidos nos escândalos de corrupção. "Estou bastante satisfeito com a quantidade de apoio que recebemos, inclusive de pessoas que não eram do Campo Majoritário nas eleições passadas e que estão conosco agora."

Berzoini negou o enfraquecimento do Campo Majoritário por conta das dissidências internas. "Não há divisão, o Campo Majoritário tem uma posição unitária." Para ele, o descontentamento de integrantes do grupo é pontual. "Temos algumas lideranças que estão manifestando dúvidas em relação à candidatura presidencial, o que eu respeito." Porém, o candidato fez questão de, mais uma vez, falar numa possível vitória no primeiro turno. "Espero que até a hora de colocarem seus votos nas urnas, eles reflitam sobre a importância para fortalecer o governo Lula e para fortalecer o partido da decisão já no primeiro turno."

O candidato, considerado favorito na disputa, explicou por que defende uma definição já no primeiro turno. "Acreditamos que se definirmos (a eleição) no primeiro turno nós teremos nas próximas três semanas, que seriam dedicadas ao segundo turno, a construção partidária e o processo de organização interna."

Apesar da crise política do atual governo atingir lideranças que pertencem ao Campo Majoritário (como José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoino), Berzoini defendeu a permanência do grupo no comando partidário. "O Campo, nos últimos dez anos, teve um mérito de construir uma estratégia para as vitórias políticas do PT, fazer o partido crescer e viabilizar uma interação maior com a sociedade." Para ele, não pode haver generalização. "Nós temos algumas pessoas do Campo Majoritário que cometeram erros e esses erros merecem ser analisados e punidos. Mas não podemos confundir os erros de alguns com os méritos e uma trajetória vitoriosa que levou o Lula à Presidência."

Berzoini disse ainda esperar que Lula participe da votação de amanhã. "A presença do presidente Lula representa o compromisso dele com o PT e o compromisso com o futuro desse partido."