O prefeito Beto Richa encaminha nesta semana ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome os projetos técnicos do Mercado Permanente de Produtos Orgânicos de Curitiba, o primeiro do país, e do restaurante popular. Os dois projetos serão implantados com parceria do governo federal.

Na semana passada, o prefeito aprovou os projetos técnicos apresentados pelo secretário municipal do Abastecimento, Antonio Leonel Poloni, e técnicos do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPC). "São obras de grande relevância para a população, e que colocam Curitiba na vanguarda do abastecimento alimentar", afirmou Richa

Participaram da reunião os secretários municipais de Finanças, Luiz Eduardo Sebastiani e de Administração, José Richa Filho, além do administrador regional da Matriz, Omar Akel.

O primeiro Mercado Permanente de Produtos Orgânicos do país será construído na Rua da Paz, no estacionamento ao Mercado Municipal de Curitiba. Os dois espaços serão integrados por uma passagem entre o corredor e praça de alimentação. "O ganho será coletivo, uma vez que um mercado vai potencializar o público do outro", diz Poloni.

O Mercado de Orgânicos terá dois pisos com 900 m² e um estacionamento. O primeiro piso, conectado ao Mercado Municipal por um corredor, será ocupado por lojas de produtos e praça de alimentação exclusivamente orgânica. O segundo andar é destinado à administração e salas de eventos, que poderão ser utilizadas para lançamentos de produtos e cursos de empreendedorismo.

O número de lojas ainda não foi definido, mas o Mercado Orgânico vai trabalhar com produtos no atacado e varejo. A administração seguirá o mesmo modelo praticado no Mercado Municipal, permissão de uso.

"O Paraná, o Brasil, e em especial a Região Metropolitana de Curitiba que responde por 20% da produção orgânica do estado, serão beneficiados pelo mercado de orgânicos. Com o Mercado, estes agricultores terão escoamento fácil de produção e contato com as novidades e tendências mundiais no setor de orgânicos", explicou o secretário do Abastecimento. A produção de orgânicos da Região Metropolitana cresceu 200% na safra 2003/2004 em relação à safra 2002/2003.

A obra está orçada em R$ 3 milhões. Parte do recurso virá pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, um dos parceiros do município na implantação do projeto.