O presidente Luiz Inácio Lula da Silva designou o ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto como um de seus "ajudantes" nas negociações com os governadores e o Congresso sobre a reforma tributária. Segundo Rigotto, que participou de parte da reunião de hoje do Conselho de Coalizão com Lula, a sua função não é de ministro sem cargo, interlocutor ou coordenador. "Pode colocar que sou apenas um dos ajudantes. Não há necessidade de cargo ou remuneração para isso. Vou estar aqui tantas vezes quantas necessárias. Posso dar minha contribuição sem cargo", disse.

Desde outubro, Rigotto – que perdeu a disputa no Rio Grande do Sul para Yeda Crusius – tem participado de conversas sobre reforma tributária. Ele já conversou sobre o assunto com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e com o secretário executivo da Fazenda, Bernard Appy.

Quando parlamentar, Rigotto sempre teve atuação na área tributária. Em entrevista hoje no Palácio do Planalto, o ex-governador disse que o governo não definiu prazos mas espera aprovar ainda neste ano as propostas de alteração no sistema tributário que já estão no Congresso.