O risco Brasil atinge 505 pontos e registra o menor nível desde maio de 1998. A pontuação representa uma queda de mais de 4%. Esse número só foi possível graças à valorização do C-Bond ? principal título da dívida externa Brasileira. O papel é negociado a 97% do seu valor de face, registrando o maior valor de sua história.

Esse desempenho positivo contribui para a queda de 0,61% do dólar, cotado a R$ 2,929, e para a alta de 1,34% do Ibovespa, aos 20.454 pontos. Segundo o analista André Kitahara, do banco holandês Rabobank, a valorização dos papéis brasileiros é influenciada pela alta das taxas de retorno dos títulos do Tesouro americano.

Com o novo recorde do C-Bond, voltaram às mesas de operações rumores de que o governo brasileiro poderá realizar uma nova captação no mercado internacional ou alguma operação de troca (“swap”) de títulos. (FolhaNews)