O secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldair Rizzi, defendeu nesta quinta-feira (2), durante palestra no Congresso Paranaense da Indústria, em Curitiba, uma maior integração entre as universidades públicas e as empresas paranaenses. "A integração é um dos pré-requisitos para que a inovação tecnológica ocorra em todas as regiões do Estado", afirmou. O evento foi promovido pelo Sistema Fiep e contou com participação de cerca de 1.500 pessoas.

Rizzi disse também que existe hoje "um novo pensamento" sobre o papel das universidades e que isso "é muito bom para a sociedade". "Mas as universidades públicas ainda são responsáveis por cerca de 90% de toda a produção científica brasileira", acrescentou. No Paraná, em 2003, as cinco grandes universidades estaduais realizaram 6.303 projetos de pesquisa nas áreas de Ciências Agrárias, Biológicas, Exatas e da Terra, Humanas, da Saúde, Sociais Aplicadas, Engenharias e Lingüística e Letras e Artes.

Segundo o secretário, empresas que desejarem realizar parcerias com as universidades estaduais já podem recorrer a um banco de dados contendo informações sobre os projetos de pesquisa realizados nos últimos anos nas universidades estaduais (UEL, UEM, UEPG, Unicentro e Unioeste). "Esse tipo de informação, inexistente na gestão anterior, permite confrontar as demandas geradas pela sociedade", disse.

Além disso, tanto a Fundação Araucária, órgão de fomento ligado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, quanto o Fundo Paraná, que destina até 2% da receita tributária para a área de C,T&I, disponibilizam na Internet chamadas públicas para projetos que são analisados pelo mérito. Em 2004, 3.027 projetos foram submetidos "a análise dos comitês da Fundação, dos quais 1.160 foram aprovados, o equivalente a 38,3% da demanda.

Também em 2004, conforme afirmou Rizzi, vários outros projetos receberam recursos públicos, principalmente na área da Saúde. Um dos projetos trata da implantação e consolidação da Rede Paranaense de Referência em Terapia Celular, que tem o apoio da unidade de transplante de medula óssea do Hospital de Clínicas da UFPR.