O líder do PFL na Câmara, Rodrigo Maia (RJ), pediu no plenário da Câmara a demissão do ministro da Defesa, Waldir Pires. O líder argumentou que a crise nos aeroportos demonstrou que o ministro não tem mais condições de ocupar a pasta. "Com todo respeito que tenho à história do ministro, infelizmente, ele não conseguiu comandar o processo na hora necessária", afirmou Maia.

A manifestação de Maia foi na mesma sessão que aprovou a criação de uma comissão externa para acompanhar a crise nos aeroportos. "Os fatos indicam que há uma crise, que há um impasse, que a crise afeta a vida das pessoas, das empresas e das instituições e que, portanto, providências rápidas e enérgicas devem ser tomadas e o Congresso Nacional deve colaborar na busca dessas soluções", avaliou o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP). "Parece que o problema está localizado no âmbito mesmo da operação, mas de qualquer forma, a Câmara tem a obrigação, como instituição que fiscaliza os atos do Poder Executivo, a adotar as providências para acompanhar de perto e ajudar na solução do impasse", avaliou Rebelo.

Para Rebelo, não se pode culpar a militarização do setor de controle aéreo como responsável pela crise. "Eu acho precipitado encontrar atalhos ou diagnósticos fáceis para a crise. Atribuir à natureza militar da atividade a razão da crise é muito fácil e muito simples. A não ser que se reconheça também que durante décadas sob o controle militar o tráfico aéreo no Brasil funcionou muito bem", disse.