O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, disse hoje que não há justificativa para a intenção do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) de intensificar as invasões de terra durante o mês de novembro. “Não se justifica. Nós já apresentamos para as lideranças nacionais o resultado muito forte que fizemos esse ano. São 92.700 mil famílias que já asseguramos para serem assentadas e ainda temos dois meses para o balanço do ano com a expectativa de crescimento ainda do número de famílias assentadas”, informou Rosseto durante a inauguração da exposição Extensão Rural Brasil no Palácio do Planalto.

O governo, segundo o ministro, tem segurança do processo de reforma agrária desenvolvido no país. “Nós estamos muito seguros do trabalho que é qualificado, forte e que responde a esse programa prioritário do nosso governo. Da mesma forma como estamos trabalhando em todos os instrumentos de política agrícola que garantam renda e apoio à agricultura familiar”.

Rosseto disse ainda que aguarda a aprovação dos créditos suplementares pelo Congresso Nacional para financiar o restante do Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA). “Toda a nossa parte financeira já foi executada, mas nós estamos aguardando numa expectativa positiva de ampliarmos nossos recursos”.

Segundo ele, estão mantidas as metas estabelecidas pelo PNRA de assentar 115 mil famílias até o final deste ano. “Todas as metas do governo para o Plano Nacional de Reforma Agrária são operacionais e realizáveis. Isso é resultado de muito trabalho de todo o governo, em especial do Incra, e portanto todas a metas para 2005/2006 estão mantidas. Não só as metas que asseguram o assentamentos de famílias, mas a qualificação de um novo modelo de reforma agrária”, afirmou Rosseto.