A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) está otimista em relação à produção de soja na safra 2004/2005, mesmo com o risco de infestação com o fungo da ferrugem asiática. Segundo Alécio Maróstica, representante da CNA na Câmara Setorial de Insumos, a expectativa é de uma produção de 60 milhões de toneladas de soja, contra 49 milhões de toneladas na safra 2003/2004.

“A ferrugem tem controle. Custa caro, mas tem”, afirmou Maróstica, que é produtor de soja em Goiás.

O produtor acredita que com boas condições de temperatura, chuva na quantidade certa e adoção de medidas de controle é possível chegar até mesmo a uma produção de 65 milhões de toneladas. Ele avaliou que a pesquisa avançou muito desde as duas últimas safras, quando houve registro da presença do fungo pela primeira vez. Segundo ele, a divulgação das formas de manejo foram antecipadas.

Maróstica participou hoje de reunião promovida pelo Ministério da Agricultura para a elaboração de estratégias de combate à ferrugem da soja. O país perdeu 4,5 milhões de toneladas de soja na safra 2003/2004 por causa da doença. O prejuízo estimado, com a quebra da safra e os gastos com agrotóxicos, foi de US$ 2,2 bilhões.

A safra de soja 2004/2005 deverá ter 20 milhões de hectares plantados, com crescimento de área cultivada previsto nos estados de Mato Grosso (10%), Paraná (5%) e Goiás (10%).