Não bastasse a grave crise política do governo, um projeto de saneamento, prioritário para o governo Lula, emperra no Congresso Nacional. A proposta, que tinha um potencial de investir, em 20 anos, cerca de R$ 178 bilhões em água tratada, serviços de esgoto e infra-estrutura, parou devido à polêmica entre estados e municípios. Isso levou o governo a retirar o pedido de urgência constitucional do projeto.

A intenção do governo federal era de repassar a competência de execução das obras para os municípios, mas encontrou resistência dos estados. Frente a esta realidade, os 180 milhões de brasileiros terão de esperar. A segunda alternativa e utilizar recursos próprios para a realização das obras.

É o caso da prefeitura de Vila Velha ? ES. Depois de passar por enchentes desastrosas, finalmente o município vai tirar do papel seu plano de macrodrenagem. ?Não podemos encerrar a segunda gestão sem ter essas obras concluídas. Elas são prioritárias, já que irão beneficiar 65% da população?, afirma o prefeito Max Filho.

Sem contar com o governo federal ou com o estado, a prefeitura vai iniciar as obras ainda este ano. O projeto de macrodrenagem está orçado em R$ 46 milhões. Desse montante, apenas R$ 15 milhões são de recursos do município. O restante foi cedido pela Caixa Econômica Federal em empréstimo. A obras estão sendo licitadas e a prefeitura terá 18 meses para entregar a obra concluída.