Em entrevista hoje à Rádio Eldorado, o presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Ricardo Izar (PTB), disse que está "estudando uma fórmula para que os processos sejam realizados", já que acredita ser impossível votar os pedidos de cassação da CPI dos Sanguessugas antes das eleições.

São 69 deputados e 3 senadores acusados pela CPI, que investiga o envolvimento dos congressistas no esquema de compra superfaturada de ambulâncias.

"Somos 15 membros no Conselho, sendo que eu e o corregedor não podemos ser relatores. Com os suplentes temos 28 pessoas que podem ser relatores e temos 69 processos", contou Izar. O deputado afirmou que "está estudando uma fórmula para que alguns deputados analisem dois ou três processos.

O deputado pelo PTB de São Paulo comentou ainda o número de partidários envolvidos nas acusações da CPI dos Sanguessugas. Entre os acusados, 16 são do PTB. A legenda só fica atrás do PL, que tem 18 congressistas acusados de envolvimento no caso.

"Roberto Jefferson, era do PTB, e nós o julgamos normalmente. Nós quando entramos no Conselho de Ética deixamos o partido de lado", afirmou. Segundo Izar, o objetivo do Conselho "é melhorar a imagem do poder legislativo e fazer justiça". Colaborou Mônica Aquin.