A pedido do ex-deputado e empresário Emerson Kapaz, a Planam, principal empresa da máfia das ambulâncias, depositou R$ 100 mil na conta da Paulo Octávio Investimentos. A informação foi dada por Luiz Antônio Trevisan Vedoin, um dos sócios da Planam, à Justiça Federal de Mato Grosso. Segundo ele, o ex-deputado indicou cinco contas para que a Planam depositasse a comissão pela liberação das emendas. Kapaz foi deputado entre 1999 e 2002 pelo PPS e presidiu, até anteontem, o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco).

Ontem, o ex-deputado divulgou nota na qual "desmente qualquer intermediação com prefeitos em troca de benefícios ou negociações com a empresa citada" e se diz "com a consciência tranqüila". Ele informou que só se pronunciará após ter acesso ao processo. O ex-deputado reclama do que classifica como "impossibilidade de defesa, pois o processo corre em sigilo de Justiça".

Além dos R$ 100 mil para a Paulo Octávio Investimentos, Kapaz teria indicado a conta bancária de sua ex-mulher Laura Hosiasson para receber depósito da Planam. Segundo o depoimento de Vedoin, o ex-deputado também indicou as contas de Odilon Duarte, Jefferson de Castro e Cledel Chaves para receber depósitos da empresa.

O senador Paulo Octávio (PFL-DF), dono da Paulo Octávio Investimentos, uma das maiores construtoras de Brasília, disse que desconhece "qualquer negócio do Emerson Kapaz com suas empresas". O senador havia levantado a hipótese de o depósito ser proveniente de compra de imóvel, mas depois informou que não há registros de imóvel vendido para Kapaz. Segundo a assessoria do ex-deputado, ele "não tem nem nunca teve" imóvel em Brasília.

Kapaz teria apresentado emendas para compra de ambulâncias em 2002. Segundo a revista Veja, Vedoin disse em depoimento que Kapaz apresentava emendas para a compra e pedia em troca 10% do valor do negócio.