Santos, 10 (AE) – O Santos saiu nesta quarta-feira do torneio que não pediu para disputar. Perdeu por 2 a 1 para a LDU (do Equador), na Vila Belmiro, e caiu fora da Copa Sul-Americana (já havia perdido por 3 a 2 no jogo de ida). Dessa forma, finalmente, poderá priorizar o Campeonato Brasileiro – como sempre foi a vontade de Vanderlei Luxemburgo. Domingo, enfrenta o Goiás, em Presidente Prudente (SP).

Antes do jogo, o trio de arbitragem e os jogadores dos dois times se reuniram no centro do gramado para orar por dona Marina, mãe do atacante Robinho, desaparecida desde a noite do último sábado.

om a partida iniciada, a LDU partiu para cima, marcando a saída de bola do Santos, uma tática que surpreendeu quem esperava que os equatorianos passariam o jogo inteiro na defesa. Com pelo menos cinco jogadores no campo de defesa santista – parecia a tão comentada “blitz são-paulina” -, a LDU logo chegou ao gol, aos seis minutos. Da direita, Murillo cruzou para o veterano Aguinaga, de 37 anos, cabecear para o gol. Detalhe: sozinho, e na pequena área (o zagueiro Domingos ficou só olhando).

os três minutos seguintes, o Santos se esforçou para mostrar que o gol tomado havia sido um acidente. Em duas jogadas incríveis, com a bola indo e voltando dentro da área, o goleiro Espinoza fazendo defesas milagrosas e os zagueiros dando bico para onde o nariz apontava, o time, por pouco, não empatou. Marcinho, William e Basílio desperdiçaram.

A LDU, com sua cômoda vantagem, resolveu então recuar. Passou a jogar todo em seu campo de defesa, com duas linhas de quatro. E o Santos foi para cima.

os 18, Flávio cruzou e Marcinho cabeceou. A bola passou rente à trave direita da LDU. Aos 35, Basílio fez linda jogada pela direita e cruzou para Márcio, que, sem goleiro e dentro da pequena área, conseguiu a façanha de chutar para fora. Aos 42, Márcio tentou se redimir cruzando para Preto Casagrande. O volante, de primeira, acertou uma bomba. A bola bateu no travessão.

o intervalo, Luxemburgo, tentando reverter o placar, abriu mão do 3-5-2 e armou um 4-4-2 ofensivo. Tirou os fraquíssimos Domingos, Márcio e William e colocou os titulares Elano, Léo e Deivid.

toque de bola santista melhorou consideravelmente, mas o domínio não chegou a ser traduzido em chances de gol. Recuada, a LDU se defendia bem e o Santos não conseguia furar suas duas linhas de quatro. Por pelo menos 20 minutos, o jogo foi um tédio de matar. Talvez por isso, a zaga santista tenha cochilado e, aos 23, Murillo quase ampliou a vantagem da LDU. Mauro defendeu bem.

No minuto seguinte, um tanto envergonhado com a apatia santista, Deivid tentou botar fogo no jogo. Dentro da área, ajeitou a bola com um pé e bateu com o outro. O chute saiu rente à trave direita.

O tempo passava e o Santos parecia desistir do jogo. A bola passava de pé em pé e ninguém se arriscava a tentar uma jogada mais ousada. Até que Elano resolveu tentar. De longe, mandou uma bomba que entrou no ângulo esquerdo de Espinoza. Gol.

Eram 38 minutos. Faltavam dez (com os acréscimos) para o Santos tentar a virada e levar a decisão para os pênaltis. Mas Murillo, aos 43, acabou com as esperanças santistas: aproveitando uma falha bisonha de Ávalos e o péssimo posicionamento de Mauro, invadiu a área pela esquerda e bateu no cantinho. Fez o gol que recolocou o Santos nos trilhos apenas do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 X 2 LDU

Santos: Mauro; Leonardo, Domingos (Elano) e Ávalos; Flávio, Preto Casagrande, Ricardinho, Marcinho e Márcio (Léo); Basílio e William (Deivid). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

LDU: Espinoza; Gomez, Espínola, G. Espinoza e Ambrossi; Obregón (González), Urrutia, Reasco e Aguinaga; Murillo (Jacome) e Salas (Escobar). Técnico: Juan Carlos Oblitas

Gols: Aguinaga, aos 6 min do 1º tempo; Elano, aos 38 min e Murillo, aos 43 min do 2º tempo

Juiz: Carlos Torres (PAR)

Cartões amarelos: Urrutia, Flávio e Murillo

Renda e público: não divulgados

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)