O São Caetano não se importou com o fato de estar jogando fora de casa e venceu com facilidade o Cruzeiro, por 3 a 1, neste domingo, no Mineirão, resultado que o garantiu na Série A do Campeonato Brasileiro do ano que vem. O time do ABC Paulista só dependia de suas próprias forças para evitar o rebaixamento e enfrentou um adversário desmotivado, sem pretensões na competição.

Com esse resultado, o São Caetano terminou na 17.ª colocação, com 52 pontos ganhos. O Cruzeiro somou 60 pontos e terminou em oitavo, classificado para a Copa Sul-Americana de 2006.

"Sabíamos que o Cruzeiro não almejava mais nada na competição, mas nós, do São Caetano, fizemos o jogo ficar fácil", observou o lateral Alessandro, durante as comemorações da equipe paulista. Ao final da partida, os jogadores se reuniram no centro do gramado e fizeram uma oração de agradecimento pela permanência na Série A.

"Era uma equipe que não merecia estar nessa situação e a gente, com dignidade, conseguiu manter na Primeira Divisão", destacou o volante Zé Luiz, autor do primeiro gol da partida. Aos 10 minutos do primeiro tempo, o atacante Edílson cobrou falta e o lateral desviou para fazer 1 a 0.

Enquanto o Cruzeiro atuava em ritmo de treino, o time paulista demonstrava disposição para assegurar os três pontos, confirmados na etapa final. Aos 15 minutos, o atacante Jean foi lançado e driblou o goleiro Fábio para ampliar. Cinco minutos depois, o meio-campista Claudecir fez 3 a 0. O terceiro gol do São Caetano revoltou a pequena torcida celeste no Mineirão, que iniciou um coro de "é mala-preta".

A equipe mineira conseguiu descontar aos 37 minutos. Wágner cruzou da esquerda e o atacante Alecsandro completou para o gol. "Não teve nenhuma mala preta. A gente entrou em busca da vitória, só que a equipe entrou desligada como em outros jogos e foi surpreendida novamente", justificou Fábio.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 1 X 3 SÃO CAETANO

GOLS – Zé Luiz aos 10 minutos do primeiro tempo; Jean aos 15, Claudecir aos 20 e Alecsandro aos 37 minutos do segundo tempo.

CRUZEIRO – Fábio; Jonathan, Edu Dracena, Moisés e Wágner; Maldonado (Diogo), Martinez, Kelly (Wando) e Adriano (Francismar); Diego e Alecsandro. Técnico: Paulo César Gusmão.

SÃO CAETANO – Sílvio Luiz; Alessandro, Gustavo, Thiago e Triguinho; Zé Luiz (Julio César), Raulen e Claudecir (Pingo); Edílson, Jean (Canindé) e Somália. Técnico: Cuca.