Assim como aconteceu na vitória sobre a Ponte Preta, o treinador do São Paulo, Muricy Ramalho, deverá escalar vários reservas no clássico contra o Santos, domingo, no Morumbi, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Perto da classificação à final da Copa Libertadores da América – após a vitória sobre o Chivas Guadalajara por 1 a 0, no México – o time paulista defende a liderança do torneio nacional, onde tem quatro pontos de vantagem sobre Cruzeiro e Internacional.

Motivos para preservar os titulares para o confronto decisivo contra os mexicanos na próxima quarta o técnico são-paulino tem. Um deles é o desgaste provocado pelas longas viagens, de ida e volta, entre São Paulo e Guadalajara, além do próprio jogo. Só na viagem para o México foram 15 horas de vôo. Outra razão é a qualidade dos jogadores considerados reservas, que deram conta do recado contra a Ponte Preta e ampliaram a vantagem na ponta do Brasileirão.

Com a chegada no Brasil, o elenco são-paulino ganha um folga hoje e volta a treinar amanhã, no CCT da Barra Funda. "Aqui no São Paulo, a gente tem ganhar todo o dia. Por isso, o jogo de domingo é importante", disse o treinador, ainda no vestiário do Estádio Jalisco, em Guadalajara.