Jorge Wagner finalmente estreará com a camisa do São Paulo. Será hoje, no jogo contra o Guaratinguetá, pelo Paulistão, a partir das 20h30, no Morumbi. Ontem, na hora do almoço, o meia-lateral de 28 anos recebeu a notícia que aguardava fazia um mês, desde que se transferiu do Betis, da Espanha, para o clube paulista: a exemplo de Mascherano, Romário e Christian, a Fifa deu o aval para que ele pudesse jogar, mesmo tendo defendido outros dois times num intervalo de apenas seis meses.

"Foi difícil ficar esperando. Pela primeira vez vivi uma situação dessa, com muita expectativa. Minha família também estava esperando a Fifa se pronunciar. Mas eu sabia que por trás eu tinha todo o respaldo da diretoria do São Paulo para resolver isso, e a liberação chegou no momento ideal", contou o baiano Jorge Wagner

Ideal mesmo. Que o diga o técnico Muricy Ramalho, que, depois de um mês tendo de ver o reforço só treinar, não pensou duas vezes em escalá-lo no time titular para o jogo desta quinta-feira. É verdade que a suspensão do meia Hugo, pelo terceiro cartão amarelo, ajudou. Nem foi preciso mexer aqui ou ali para encontrar um lugarzinho para Jorge Wagner.

"Já me sinto em casa depois de um mês só me ambientando. O Muricy já trabalhou comigo no Inter e sabe o que posso fazer. Mas sei que vai depender muito de mim para conseguir um lugar no time. Vou me empenhar o máximo para ganhar outras oportunidades e ajudar o São Paulo", disse Jorge Wagner.

A torcida são-paulina realmente espera que Jorge Wagner brilhe da mesma forma como brilhou no Corinthians e Internacional. Afinal, por duas vezes ele foi campeão justamente em cima do São Paulo. Em 2003, faturou o Paulistão pelo time do Parque São Jorge. No ano passado, levantou a Copa Libertadores da América com o clube gaúcho.

"O São Paulo é uma equipe acostumada a disputar e ganhar títulos. E com certeza estou preparado para isso", disse o novo dono da camisa 7 são-paulina, a mesma que pertenceu ao volante Mineiro. "Sei que a responsabilidade é grande por esse número ter sido do Mineiro, que ganhou muitos títulos aqui.

Sem entrar em polêmica, o jogador disse nem ter ficado sabendo da proposta que o Grêmio fez ao Betis – e que o São Paulo cobriu. Jorge Wagner está interessado apenas em recuperar o tempo perdido na Europa. Ele tem contrato de empréstimo até o fim do ano. "Pensava em cumprir meu contrato lá (quatro anos) e me tornar famoso, reconhecido, mas não aconteceu. E nisso apareceu o São Paulo. Espero dar tudo certo aqui para que eu possa permanecer mais tempo", explicou.