O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), admitiu hoje a possibilidade de o Congresso rever o valor do reajuste do salário mínimo anunciado pelo governo e que passa a valer R$ 260,00 a partir de 1º de maio.

?Não conheço as razões, motivações e os cálculos que levaram o governo a mandar ( medida provisória ao Congresso) o salário mínimo neste nível, mas acho que se pudermos aumentá-lo será muito bom para o país e acho que este seja o próprio desejo do presidente Lula?, afirmou Sarney.

Ele não quis comentar a proposta do primeiro-vice presidente do Senado, Paulo Paim (PT-RS), de se criar uma comissão mista de deputados e senadores para estudar recursos orçamentários que pudessem dar um reajuste maior ao mínimo que os R$ 260,00 anunciados pelo governo. ?Não conheço a proposta do senador Paim e, por isso, não vou opinar, porque como presidente terei que verificar a luz do nosso regimento como deverei proceder?, destacou Sarney.

O presidente do Senado acrescentou que o desejo do parlamento e do próprio governo é de conceder o maior reajuste possível ao salário mínimo. No entanto, destacou que o governo tem suas limitações para não prejudicar as contas públicas.