O Paraná registrou durante este ano 42 casos de dengue autótocne, ou seja, contraída dentro do Estado. Os dados foram apresentados pela diretoria de Vigilância em Saúde e Pesquisa da Secretaria de Estado da Saúde. As cidades que mais registraram casos estão na região Oeste: Pato Bragado, Santa Helena e Marechal Cândido Rondon, pertencentes à 20ª Regional de Saúde, e Foz do Iguaçu, da 9ª Regional de Saúde.

O calor fez com que os pontos de reprodução dos mosquitos, como garrafas, pneus e outros ficassem secos. Assim, o mosquito encontrou dentro das casas, nos vasos de plantas, locais seguros para reprodução. Com esse descuido da população, o mosquito conseguiu se reproduzir e assim aumentar os números de casos autóctones no Estado.

No início do ano, um balanço apresentado pelo Ministério da Saúde apontou o Paraná como o Estado que teve maior redução do número de casos de dengue em todo o país. Ao todo, a queda foi de mais de 99%, sendo mais de 9 mil casos em 2003, contra apenas 48 em 2004.

Para 2005, a expectativa é continuar o controle da doença e para isso é necessário que a população continue com os cuidados básicos, tanto dentro quanto fora de casa. "Os casos que tivemos até agora são normais e estavam dentro do previsto. Logo após o período de férias e principalmente do Carnaval, as pessoas viajam e são contaminadas em outros Estados, trazendo a doença para cá", afirmou o diretor de Vigilância em Saúde e Pesquisa da Secretaria, José Francisco Konolsaissen.

Ele se refere aos casos ocorridos fora do Estado, chamados importados, que faz com que quando uma pessoa é contaminada e depois picada, leve a doença para o mosquito que inicia a transmissão. Até agora, foram registrados 31 casos de dengue importados no Paraná. "Vigilância continua sendo a palavra chave", afirmou.