A Secretaria de Estado da Saúde prepara um projeto para reduzir a prevalência da esquistossomose no estado por meio da atualização da área de risco da doença. O gerente do Programa Nacional de Controle da Esquistossomose, Ronaldo Santos do Amaral esteve em Curitiba para assessorar a execução do trabalho. Na ocasião, ele destacou a importância do projeto de controle desenvolvido pela Secretaria. “O levantamento é essencial para reforçar a vigilância nas áreas de risco, prevenindo a forma grave da doença”, afirmou.

Os trabalhos terão início no final deste ano, logo após a capacitação de uma equipe. Diversas reuniões já foram realizadas para discutir o projeto. O trabalho é desenvolvido em parceria com o Ministério da Saúde e com o apoio do professor Ênnio Luz da UFPR.
Atualmente, a esquistossomose é a segunda doença parasitária no mundo. São registrados aproximadamente três milhões de casos de doentes por ano no Brasil, provocando internamento de 2.000 pacientes em estado avançado da doença e a morte de 500 pessoas.