O Ministério da Saúde vai financiar 32 projetos de organizações não-governamentais de gays, lésbicas, transgêneros e bissexuais (GLTB). O valor de cada projeto foi ajustado de acordo com parâmetros orçamentários do Programa Nacional de DST/Aids.

As instituições selecionadas receberão comunicação do ministério por e-mail. Algumas propostas ficaram sem financiamento porque descumpriram critérios técnicos, como pendências em outros projetos financiados pelo programa.

A seleção das beneficiárias levou em conta a experiência acumulada das instituições na organização de paradas de Orgulho Gay e projetos que prevêem parcerias entre várias organizações e instituições. Também foram consideradas prioritárias para o financiamento as paradas de Orgulho Gay das capitais e dos municípios mais importantes em termos demográficos, considerando-se o processo de interiorização da epidemia de aids.

O apoio do ministério será prioritário para iniciativas de educação e prevenção das doenças sexualmente transmissíveis e aids que serão divulgadas nas paradas. Apenas um projeto foi aprovado por município e foram analisadas propostas com orçamento máximo de R$ 12 mil.