A Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) recebeu ontem uma homenagem na Câmara Municipal de Curitiba. A iniciativa foi do vereador Jônatas Pirkiel (PL) para marcar os cinqüenta anos de atividades da entidade – que será comemorado domingo. A SBEE é hoje uma das maiores organizações espíritas brasileiras, atuando em vários trabalhos sociais e única no mundo a manter uma faculdade com o curso de Teologia Espírita.

Fundada em 1953 pelo professor Maury Rodrigues da Cruz, a SBEE iniciou as atividades com o nome de Agrupamento Espírita Afonso Penna, passando a chamar doze anos depois, Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas. A entidade, além de ações filantrópicas, tem como objetivos o estudo, pesquisa e sistematização da Doutrina Espírita.

Além da sede nacional em Curitiba, a SBEE possui núcleos filiados no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio e Paraíba. Atualmente a SBEE recebe uma média de cinco mil pessoas por semana, entre atendimentos, consultas e estudos mediúnicos – só os alunos somam cerca de 3,5 mil pessoas. Além disso, faz parte da SBEE o Museu Nacional do Espiritismo, que possui um acervo de 80 mil peças tombadas e catalogadas, entre as quais, livros raros e mensagens psicografadas. Ainda, o Lar Escola Dr. Leocádio José Correia – que atende 160 crianças -, e a Faculdade Leocádio José Correia (Falec), que oferece os cursos de Administração, Pedagogia e Teologia Espírita. A SBEE também possui uma editora onde já foram publicados trinta obras. A entidade possui ainda um grupo de mais de mil médiuns que prestam atendimento ao público e coordenam grupos de apoio junto à asilos, casas penitenciárias e ilhas do litoral do Paraná.

Homenagem

Para Maury Rodrigues da Cruz a homenagem da Câmara simboliza o reconhecimento da importância da entidade par a população. Para Cruz, existe um interesse crescente pelo conhecimento da doutrina no mundo. Ele argumenta que isso se deve pelo espiritismo apresentar muitas respostas, sempre com uma visão crítica de ciência, filosofia e religião. Para Cruz, “isso dá oportunidade ao estudante de fazer autoconhecimento e disciplina pessoal, sem deixar de alcançar os princípios fundamentais do espiritismo”. Entre eles, Deus como fundamento da vida, Cristo como evangelho do amor, livre arbítrio como oportunidade de cada um se autodirigir, o processo reencarnatório como escolaridade do espírito, e a integração entre os dois polissistemas (material e espiritual) permitindo uma comunicação inteligente.