O presidente Fernando Henrique Cardoso disse durante pronunciamento no Palácio do Planalto, sobre a sua satisfação pelas conversas que teve com os principais candidatos à Presidência da República. Segundo ele, essas conversas foram feitas dentro do espírito público e o ajudaram a transmitir tudo sobre os acordos fechados com o FMI, Bird e Bid. “Fosse eu candidato, também mudaria alguma coisa, porque as circunstâncias mudam”, disse.

“Pedi que os ministros presentes não poupassem detalhes para mostrar que o governo está preocupado com o bem do Brasil”, afirmou o presidente. Segundo ele, os acordos prevêem uma transição tranquila qualquer que seja o próximo governo. “O acordo permite que o próximo presidente encontre condições para percorrer o caminho que escolher.

Fernando Henrique afirmou, ao responder sobre as expectativas do mercado a partir do encontro de hoje, que “o mercado evolui” e reafirmou que as medidas estão sendo tomadas, como por exemplo, a disponibilização de US$ 2 bilhões pelo Banco Central para o comércio externo, além de recursos do BNDES. “O governo está agindo o tempo todo”, disse.

Ele lembrou que os ministros da Fazenda, Pedro Malan, e o presidente do Banco Central, Armínio Fraga, viajarão para o exterior para conversar com os bancos e tentar reestabelecer as linhas de crédito internacionais. “É claro que os bancos precisam voltar (a emprestar), porque eles também estão perdendo dinheiro”, disse.