A Secretaria de Estado do Turismo e sua vinculada Paraná Turismo vão desenvolver três ações básicas durante a Operação Viva o Verão 2006. Serão realizadas pesquisas de demanda turística, operacionalizados 14 Postos de Informações Turísticas em sete municípios do litoral paranaense e, na área de promoção e divulgação, vai circular o Catálogo Receptivo 2006 e também serão produzidas 40 mil unidades de folhetos.

?Tais ações integram um conjunto de procedimentos que serão implementados por todos os órgãos e Secretarias de Estado envolvidas na Operação Viva o Verão 2006? , disse o secretário do Turismo, Celso Caron. Ele detalhou as ações da pasta do Turismo durante reunião realizada na última semana, em Curitiba, que contou com a participação de todos os representantes das instituições envolvidas na operação, dentre eles o secretário de Relações com a Comunidade, Milton Buabssi; o secretário de Estado da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, e o diretor geral da Secretaria de Segurança, coronel Rubens Guimarães.

A previsão de Caron é colocar os Postos de Informação em operação a partir da última semana de dezembro e mantê-los à disposição do veranista até o final da temporada. Bem localizados e distribuídos nos sete municípios litorâneos, cada posto contará com duas pessoas para o atendimento (em sua maior parte estudantes universitários de Turismo) e permanecerá aberto das 8 às 19 horas. Em alguns municípios, o horário poderá ser estendido até às 20 horas.

Pesquisa

Outra ação inserida na Operação Viva o Verão 2006 e que faz parte das estratégias da Secretaria do Turismo é a pesquisa de demanda turística. Esse trabalho será realizado durante cerca de dez dias, em janeiro, junto aos terminais rodoviários e rodovias que partem do litoral em direção ao planalto.

O objetivo da pesquisa é levantar o perfil do veranista e a quantificação do fluxo. Com essa informação, a Secretaria de Estado do Turismo vai alimentar o banco de dados da série histórica. Além disso, a avaliação dos equipamentos disponíveis ao veranista (infra-estrutura) vai dar origem a indicadores, que vão beneficiar os próprios municípios.