O secretário da Produção do Mato Grosso do Sul, José Antônio Felício, confirmou a suspeita de mais um foco de febre aftosa numa fazenda localizada no Paraguai, próximo ao município de Aral Moreira (MS), na fronteira brasileira. Segundo Felício, um técnico da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do Mato Grosso do Sul (Iagro), que fazia vistorias em fazendas de Aral Moreira, foi avisado por pecuaristas que têm propriedades nos dois lados da fronteira de que poderia haver animais com aftosa no município de Capitan Bado, no Paraguai.