O trabalho da CPI da Pirataria mostra que a fiscalização precisa sempre ser melhorada, disse hoje o secretário da Receita, Jorge Rachid, em encontro com o presidente da comissão, deputado Luiz Antônio Medeiros. O deputado visitou a sede da Receita para agradecer o apoio do governo aos trabalhos da comissão parlamentar de inquérito.

Segundo Medeiros, no crime organizado, todos os pontos se cruzam e, para combatê-lo, é preciso superar seu poder de organização. Rachid falou sobre o trabalho nas regiões aduaneiras destinado a promover o comércio exterior, mas também reprimir o contrabando, o descaminho de mercadorias e combater a pirataria.

O secretário informou que a Receita está empreendendo nesta semana uma ação integrada em Foz do Iguaçu, depois da destruição, na semana passada de 1 milhão de CDs piratas provenientes do Paraguai.

Para o secretário adjunto da Receita, Ricardo Pinheiro, o combate a todas as espécies de crimes de fronteira, num país de grande extensão territorial como o Brasil exige o aperfeiçoamento dos sistemas de inteligência, com cruzamento de informações que permitam desbaratar quadrilhas, ao invés de concentrar a repressão na ponta da contravenção.