O secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, disse há pouco que há três prioridades nos trabalhos que estão sendo feitos na cratera aberta ontem em virtude de acidente nas obras da Linha 4 do Metrô de São Paulo. Segundo Portella, as principais preocupações das autoridades no momento são conter o deslizamento de terra, desmontar o guindaste de cerca de 50 toneladas que está dentro do buraco e encontrar uma "possível van que está lá".

O secretário explicou que a equipe do Corpo de Bombeiros está usando uma retroescavadeira para retirar a terra. Portella disse ainda que dois automóveis foram encontrados dentro da cratera na manhã de hoje. "Mas não havia ninguém dentro. Eram carros que estavam estacionados no local", informou.

Portella disse ainda que não há informações seguras sobre pessoas que estariam dentro de uma van que supostamente foi tragada pelo deslizamento. Segundo ele, testemunhas disseram que havia quatro pessoas no veículo: o motorista, o cobrador e dois passageiros. "Mas são informações de testemunhas", frisou Portella.

Questionado sobre as causas do acidente, o secretário disse que o Metrô contratou os serviços do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) para que este faça um laudo sobre o acidente. "Ainda não sabemos o motivo do acidente. Esta não é a prioridade do momento. Saberemos quando o laudo do IPT estiver concluído", afirmou. Ele fez questão de informar que quem faz a obra não é o Metrô, mas sim um consórcio de empresas. "O Metrô é o contratante da obra", explicou.