O secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT, deputado José Pimentel (CE), negou hoje que o partido mantenha um carro à disposição do ex-secretário Delúbio Soares, acusado de arquitetar um esquema de caixa dois para as campanhas da legenda, em conjunto com o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza.

Delúbio teria sido visto na manhã de hoje deixando sua residência no mesmo automóvel da sigla que o transportava antes de deixar a Secretaria de Finanças e Planejamento.

Pimentel evitou, porém, explicar, diretamente, por que o ex-secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT ainda usava o veículo da agremiação, mas insistiu que o PT iniciou nesta semana o recolhimento dos carros como parte do plano de contenção de despesas anunciado na semana passada.

"Esse veículos estão sendo recolhidos exatamente hoje", informou. O secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT afirmou que o partido possui um total de dez automóveis, sendo oito para o transporte humano e outros dois, de carga.

Com o projeto de redução de gastos, a legenda manterá apenas os dois modelos de carga, dois veículos para o transporte humano em São Paulo e um em Brasília.

Pimentel insistiu que optou por não usar os carros da sigla desde que assumiu o cargo. Para realizar o deslocamento para a sede da agremiação, ele usa serviços de táxi, que, segundo ele, são pagos com recursos próprios.