O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Jackson Schneider, informou nesta segunda-feira (7) que a produção e as vendas no primeiro quadrimestre de 2007 são as maiores já alcançadas pela indústria automobilística no Brasil. Segundo o executivo, o desempenho deve-se ao bom momento da economia, à redução da taxa de juros e à expansão dos prazos de financiamento.

De acordo com ele, o volume de crédito disponível para o segmento nos primeiros quatro meses do ano foi de R$ 67 bilhões, valor 23% maior do que o disponibilizado no mesmo período de 2006. O prazo de financiamento acima de 36 meses, por sua vez, aumentou 15 pontos porcentuais nos primeiros quatro meses do ano em relação ao mesmo período de 2006, para 49%.

O executivo ressaltou, ainda, que o bom momento da indústria tem se refletido na abertura de novos empregos. De acordo com a Anfavea, 1.053 novas vagas foram criadas no setor em abril, frente a março. "Estamos iniciando um novo ciclo virtuoso, e não apenas de recuperação", afirmou.

Desabastecimento

O presidente da Anfavea disse, ainda, que o setor não está sofrendo com desabastecimento, seja de matérias primas, como aço ou de autopeças. "Claro que há um tempo de ajuste na cadeia, mas hoje esse não é um tema de preocupação do setor", declarou.

Schneider reiterou as previsões para o fechamento do ano de aumento de 14,5% nas vendas internas de automóveis para 2,21 milhões de unidades, e incremento de 6,5% na produção, para 2,78 milhões de unidades. As exportações, por sua vez, devem ficar estáveis em US$ 12,1 bilhões.