Um agente de cadeia, Adriano de Souza Lizardo, 39 anos, foi preso suspeito de facilitar e também fornecer informações para a fuga que acabou com 29 presos nas ruas (quatro deles já foram recapturados) na madrugada desta terça-feira (11). Além dele, também foram presos, na tarde desta quarta-feira (12), Alexandre Tadeu Pamplona, de 40, a esposa dele, Bianca Mattos Silva Franca, de 21, e Lucas de Souza Guilherme, 23 anos, suspeitos de integrar o grupo criminoso Primeiro Comando da Capital (PCC).

Segundo a Polícia Civil, os quatro, tanto o agente de cadeia como também os outros três presos, pertencem ao grupo criminoso e foram presas em uma residência da Rua José de Alencar, no bairro Vargem Grande, em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). As prisões foram possíveis depois que as investigações sobre a fuga e recaptura dos fugitivos da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP I), apontaram para essas pessoas.

A informação inicial que os policiais receberam era a de que na casa havia algumas pessoas com envolvimento não só com o PCC, mas também com a fuga dos presos da PEP I. “Estávamos no local quando o agente de cadeia chegou num Porsche e, ao ser abordado, se apresentou como tal. Estranhamos e com ele encontramos documentos falsos e também uma arma irregular”, contou o delegado Rodrigo Brown. Veja a entrevista completa:

+Leia mais! Engarrafamento de biarticulados complica a via de passageiros no Portão!

Apreensões

Dentro da casa, os policiais ainda encontraram outras provas da participação do grupo no arrebatamento em Piraquara. “Encontramos cadernos com anotações e também documentos de uma Blazer que foi encontrada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) abandonada próximo à penitenciária”, disse o delegado.

Porsche estava com o agente de cadeia. Foto: Gerson Klaina.
Porsche estava com o agente de cadeia. Foto: Gerson Klaina.

A caminhonete, conforme informou a Polícia Civil, foi flagrada por câmeras de segurança enchendo galões em um posto de combustíveis. “A suspeita é que essa gasolina tenha sido usada pelos bandidos para atear fogos nos carros e caminhões que trancaram as vias de acesso da penitenciária no dia da fuga”, completou Rodrigo Brown.

Além do Porsche Cayenne, que vale mais de R$ 100 mil, os policiais também apreenderam outros cinco carros, um deles (um Ônix) com alerta de roubo. Também foram encontrados 550g de cocaína, 60 gramas de maconha e 2,3 quilos de crack.

Alguns equipamentos, como quatro notebooks, foram apreendidos para que sejam vasculhados pela polícia. Os policiais também encontraram um colete balístico, balança de precisão, uma pistola 380 irregular e muitos cadernos e documentos com anotações referentes ao tráfico de drogas e associação criminosa.

+Leia mais! Confira as fotos e nomes dos presos que escaparam da PEP 1

Trabalho continua

A polícia continua as investigações buscando não só recapturar os fugitivos da penitenciária, mas também desmantelar o grupo criminoso que participou de toda essa ação. O agente, conforme informou o delegado, trabalha na Penitenciária de Piraquara e é suspeito de favorecer e fornecer informações que beneficiaram a ação dos bandidos na fuga dos presos.

“Por enquanto essa é uma primeira resposta ao crime, agora com todo o material apreendido vamos apurar melhor o papel de cada um. Mas com certeza ele ajudou por ter acesso ao funcionamento da unidade prisional, repassou informações sigilosas para a execução do crime”, considerou o delegado.

Foto: Gerson Klaina.
Foto: Gerson Klaina.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

BMW ‘decola’ ao se envolver em acidente em Curitiba; assista!