Uma mensagem, que circula pelas redes sociais, afirma que a quinta-feira (29) será marcada por um ‘massacre’ na Escola Estadual Amâncio Moro, no Jardim Social, em Curitiba. Segundo o texto, replicado por alguns alunos nas redes, um dos alunos da escola deve ir armado ao local na quinta com a promessa de matar quem ‘odeia’.

“Amanhã vai ser um dia especial pra mim, vou me vingar de todas as pessoas que eu odeio, infelizmente será bala para todo canto, não posso escolher as vítimas a dedo, mas sei que entre as pessoas vão estar os que quero realmente matar, isso que importa. Inocentes serão feridos? Sim. Estou portando três armas brancas, um revólver .357, uma espingarda cal.20 e assessórios para minha defesa. Este é meu último recado, abraços de um anjo qualquer”, finaliza a mensagem.

Nas redes, muitas pessoas marcaram na postagem perfis de diversas divisões das polícias Militar, Civil e Federal, tentando chamar a atenção ao possível massacre. Uma professora da escola chegou a se posicionar na postagem, dando um puxão de orelha nos alunos e afirmando que haverá reforço policial no colégio na data.

View this post on Instagram

Dessa vez iremos falar a nossa opinião, isso pode ser uma brincadeira de muito mal gosto ou algo realmente sério então isso é praticamente um aviso, vocês podem ir amanhã se quiserem mas eu não vou, pisicopatas podem estar em qualquer lugar.

A post shared by crush's Amâncio Cep (@crushs_amancio_cep) on

A mãe de um aluno do colégio, que procurou a Tribuna, afirmou que tem muito medo de mandar a criança para a escola nessa quinta, já que não sabe da veracidade das ameaças. Ela não terá seu nome revelado.

A reportagem tentou contado por telefone com a Secretaria de Educação do Paraná e também com a escola, mas não teve sucesso.

Pela manhã desta quinta, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte enviou uma nota oficial informando que a direção da instituição citada, ao saber da suposta ameaça contra a escola, tomou todas as providências cabíveis em relação ao episódio. “A Polícia Militar e o Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária (BPEC) foram acionados e estão no local, onde monitoram a entrada e saída de alunos da instituição. Ainda na manhã desta quinta-feira (29) será registrado Boletim de Ocorrência no Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) para que seja apurada a autoria da mensagem, enviada de forma anônima. As aulas estão mantidas”.

PM

A Polícia Militar afirma que o Colégio Estadual Amâncio Moro já é um dos contemplados pelo PEC, o programa de patrulhamento escolar que promove o reforço da segurança nos horários de maior movimentação na escola, e também age de maneira preventiva junto à direção das escolas para promover a prevenção de incidentes.

Na manhã desta quinta-feira (29), uma viatura da Polícia Militar estava em frente ao colégio acompanhando a movimentação do entorno.

Mesmo com escolta, ônibus de turistas é assaltado na Grande Curitiba