André Luiz de Medeiros, 34 anos, apontado pela Polícia Civil como autor da morte de Joice Mara Miranda Penteado, 30, disse estar arrependido do que fez. Ele foi apresentado à imprensa nesta segunda-feira (11) e, além de chorar , não quis comentar detalhes do crime.

O casal, conforme as investigações, estava junto há três meses. Joice foi morta na noite de sexta-feira (8), na casa em que morava com André, no bairro Santa Felicidade.

André usou duas facas para matar Joice, que não teve como se defender. Foto: Arquivo.
André usou duas facas para matar Joice, que não teve como se defender. Foto: Arquivo.

De acordo com o delegado Cássio Conceição, o crime foi motivado por ciúmes de um ex-marido da vítima. “Pouco tempo antes do assassinato, o ex teria ido até a casa do casal buscar o filho de Joice. Algum tempo depois eles discutiram e ele a matou com várias facadas”, explicou.

André usou duas facas para matar Joice. “Depois do crime, ele ligou para um colega de trabalho dele, disse o que tinha feito e falou que fugiria para Santa Catarina”. Com a ajuda da Policia Militar daqui do Paraná e do estado vizinho, os policiais conseguiram encontrar o homem em São Francisco do Sul, onde foi preso.

Arrependimento

André vai responder pelo crime de feminicídio, uma qualificadora ao crime de homicídio. Isso significa que a pena normal, de 4 a 12, passa para de 12 a 30, por conta da qualificadora. Foto: Giuliano Gomes.
André vai responder pelo crime de feminicídio, uma qualificadora ao crime de homicídio. Isso significa que a pena normal, de 4 a 12, passa para de 12 a 30, por conta da qualificadora. Foto: Giuliano Gomes.

Aos policiais, André teria confessado o crime. “Não mentiu, disse que realmente fez e nos apontou o motivo que o levou a fazer isso. Pra gente, ele disse que estava arrependido, mas isso pouco faz diferença para as investigações”, explicou o delegado.

"Estou muito arrependido e o que eu tenho a dizer é só pedir desculpas à família dela", disse André.
“Estou muito arrependido e o que eu tenho a dizer é só pedir desculpas à família dela”, disse André.

Na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o homem chegou um pouco distante e de imediato não quis comentar o crime, mas depois começou a chorar. “Estou muito arrependido e o que eu tenho a dizer é só pedir desculpas à família dela”, disse André.

Para a polícia, o crime foi totalmente elucidado e o homem continua preso. “Agora vamos aguardar os laudos que faltam, terminar de ouvir testemunhas e logo depois encaminharemos ao Ministério Público”, considerou o delegado que acrescentou ainda que André não tinha nenhum histórico de agressões contra mulheres.

André vai responder pelo crime de feminicídio, uma qualificadora ao crime de homicídio. Isso significa que a pena normal, de 6 a 20, passa para de 12 a 30, por conta da qualificadora.