A morte de Welington Moreira Bueno, de 21 anos, foi provocada por vingança. Isso é o que acredita a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que prendeu um dos suspeitos de envolvimento no crime, que aconteceu em janeiro deste ano, na Rua Coronel Dulcídio, perto da Praça da Espanha, no Batel, em Curitiba. Bruno Eduardo Tavares Freitas, o “Bruninho”, também de 21, estava junto com o atirador que ainda não foi encontrado e pode se apresentar antes de ser localizado.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Veja vídeo gravado no dia do crime, que mostra o momento dos tiros: 

Segundo as investigações, um mês antes do crime, Bruninho teria se envolvido numa briga com o rapaz que foi morto. “Ele apanhou do Welington e, por isso, acreditamos que seja não só coautor como também não dispensamos a hipótese de que possa ter mandado cometer o crime”, disse a delegada Thatiana Guzella.

No dia do crime, Bruninho estava junto com Raul Reis, de 19 anos, o rapaz que teria atirado em Wellington, que morreu com quatro tiros. “Os dois foram filmados por várias câmeras de segurança, em vários momentos, desde quando chegaram à Praça da Espanha”, disse a delegada, reforçando que Bruninho até tentou dizer que não tinha nada a ver com o crime. “Mas quando mostramos as imagens, ele disse que estava muito ‘chapado’ e que não se lembra direito. Disse não lembrar nem o nome do amigo que estava com ele e que atirou no rapaz”.

+Leia também: Mulher é baleada ao tentar roubar homem na BR-277. Comparsa a abandonou!

Bruninho (de preto) foi flagrado por câmeras de segurança da região, no dia do crime, junto com o atirador, ainda não localizado. Foto: Reprodução
Bruninho (de preto) foi flagrado por câmeras de segurança da região, no dia do crime, junto com o atirador, ainda não localizado. Foto: Reprodução

O motivo do crime, apesar de ainda não estar claro para a DHPP, pode ter sido vingança. “Foi uma briga, mas ainda não sabemos se por conta da agressão que Bruninho sofreu ou se por outro motivo. O que a gente praticamente já descartou é a possibilidade de que tenha sido uma briga por disputa de venda de drogas”, explicou a delegada.

Com a prisão de Bruninho, a DHPP acredita que vai ser questão de tempo chegar a Raul. “Até por isso resolvemos divulgar os vídeos das câmeras de segurança, pois as imagens são boas e mostram bem o rapaz. Já pedimos sua prisão, mas ainda não é foragido, então ainda pode se apresentar espontaneamente”.

Conforme as investigações, a vítima não tinha antecedentes criminais e o rapaz que atirou, a princípio, também não. Já Bruninho conta com passagens por porte e tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, furto e violação de domicílio. À imprensa, ao ser apresentado, o rapaz não quis dizer nada. Ele continua preso e vai responder por homicídio qualificado. “Esperamos então o entendimento do Ministério Público do Paraná sobre o assunto”. Denúncias sobre o paradeiro de Raul podem ser feitas pelo 0800-643-1121.

Agora que Bruninho foi preso, pode ser que a polícia consiga encontrar Raul mais facilmente. Foto: Lineu Filho/Tribuna do Paraná
Agora que Bruninho foi preso, pode ser que a polícia consiga encontrar Raul mais facilmente. Foto: Lineu Filho/Tribuna do Paraná

Passageiro leva tiro na perna após assalto a ônibus em Almirante Tamandaré