O boato de um possível de massacre no Colégio Estadual Benedicto João Cordeiro, no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, deixou pais de alunos apavorados nesta terça-feira (19). De acordo uma mãe, as mensagens surgiram nas redes sociais e rapidamente viralizaram. Alguns pais chegaram a ir até a escola e levaram os filhos embora. Apesar do susto, tudo não passou de um boato.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

A Polícia Militar chegou a ser acionada para atender a ocorrência e no local mãe de uma estudante realizou um BO quanto a uma possível ameaça. A Secretaria da Educação informou que nos próximos dias o Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária (BPEC) irá acompanhar a entrada e saída dos estudantes, para garantir a segurança.

“Todos os procedimentos de segurança necessários foram tomados pela instituição de ensino”, finalizou a nota enviada à imprensa. A Escola Ensino Fundamental Rio Negro, que fica na mesma rua, também sofreu consequências por conta do boato. Nesta terça não haverá aula noturna, para prevenir qualquer situação, de acordo com a diretora da instituição.

Assassinada

Em 2011 uma inspetora do colégio, de 39 anos, foi morta com disparos de arma de fogo. Ela foi ferida no dia 19 de fevereiro, por volta das 23h, quando se preparava para ir embora, pouco depois do término da aula, no portão dos fundos da instituição, que fica na Rua Eurico Zytkievitz, quase esquina com a Rua Celeste Tortato Gabardo.

Escola é invadida e funcionárias são feitas reféns por assaltante