A Receita Federal localizou, no início da tarde desta quinta-feira (12), uma carga de cocaína, que estava escondida no teto falso de um contêiner, no Porto de Paranaguá. A droga foi descoberta após o módulo ter passado por um scanner digital. No total, 69 quilos do entorpecente estavam no compartimento oculto.

“O contêiner passou pelo scanner, que apontou uma imagem suspeita no teto. A partir de então, o teto de alumínio foi aberto e as equipes descobriram os tabletes de cocaína”, explicou o inspetor-chefe da alfândega do Porto de Paranguá, Gerson Zanetti Faucz.

Segundo o inspetor, a droga estava em um contêiner refrigerado, usado no transporte de carne suína e de frango, e que pertence a um navio estrangeiro. A embarcação chegou a transportar a carga para outro continente – África ou Europa –, mas, por algum motivo, o entorpecente não foi retirado e o contêiner retornou para Paranaguá.

“No instante da inspeção, o contêiner estava vazio. Ele chegou a ir para o seu destino, mas não conseguiram abrir o compartimento onde estava a carga e o contêiner deve ter retornado por causa disso”, observou Faucz.

A Polícia Federal (PF) foi acionada e, com apoio da Receita Federal, deve apurar a quem pertence a droga e qual seria o destino do entorpecente. “Estamos passando os dados e fazendo este trabalho em conjunto com a PF”, disse Faucz. “Em algum momento, alguém fez a adulteração no teto do contêiner, mas, ao chegar ao destino, não conseguiram remover a droga”, concluiu.

800 quilos

Em setembro, a Receita Federal localizou 800 quilos de cocaína em um contêiner, que partiria do Porto de Paranaguá, com destino à Bélgica. Na ocasião, a droga também foi localizada com a ajuda de um scanner. Aquela foi a primeira fez que o órgão identificou a tentativa de traficantes internacionais, de despachar grande carregamento de cocaína, ocultado em contêiner.