Uma grande quantidade de drogas que poderia render mais de R$ 1,5 milhão ao crime organizado levou dois casais de namorados para o xilindró na tarde desta quarta-feira (21). A quadrilha foi presa em uma ação realizada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) no bairro Cajuru, em Curitiba, e também no município de Pinhais, na Região Metropolitana.

Segundo o delegado Rodrigo Brown, a polícia chegou até os suspeitos por meio de uma denúncia anônima informando que um casal realizaria a entrega dos entorpecentes na rua Santa Lucia, bairro Cajuru, em uma Tucson prata.

Carro utilizado pelo casal. Foto Átila Alberti
Carro utilizado pelo casal para entregas de entorpecentes. Foto Átila Alberti

“Nós já sabíamos de uma moça que prestava serviços para o crime organizado guardando drogas e distribuindo. Então, com essa denúncia, fomos até a região e vimos uma mulher na Tucson jogando algo no mato. Revistamos o local e encontramos cocaína ali”.

Alessandro Horst Badillo, de 24 anos, e Andressa de Oliveira Pereira da Silva, 26, foram abordados e acompanharam os policiais até sua residencia na rua Rio Negro, em Pinhais, onde foram apreendidos mais 95 gramas de cocaína, 240 gramas de haxixe e 40 gramas de maconha.

“Também encontramos mais 300 gramas de cocaína escondidos em um fundo falso do carro e vimos diversas mensagens referentes às negociações de drogas nos celulares dos dois”.

“De mala e cuia”

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

Ainda segundo o delegado, os policiais descobriram que uma pessoa havia saído da residência levando uma mala com a imagem da bandeira da Inglaterra, onde estariam entorpecentes para distribuição na rua Santa Lucia, no Cajuru.

Os policiais foram à rua descrita a encontraram Alisson Horst Badillo, 29, e sua namorada Francieli Regina Salomé, 21, levando mais de cinco quilos de cocaína pura e 750 gramas de haxixe.

“Por ser dentro da cidade, e não em rodovias, trata-se de uma apreensão muito grande e de uma droga com alto grau de pureza. Para se ter uma ideia do que isso significa, as pessoas que iriam misturar esse entorpecente com outros produtos poderiam aumentar a quantidade em até cinco vezes”, explicou.

Como os 5,5 quilos de cocaína foram avaliados em aproximadamente R$ 300 mil, o produto final misturado ultrapassaria R$ 1,5 milhão. Os quatro suspeitos foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, e podem pegar até 15 anos de reclusão.

.