O casal Jenifer Ana dos Santos e Diogo da Silva Gonçalves, 23 e 30 anos, foi preso em flagrante quando tentava aplicar o famoso “golpe do bilhete premiado” contra uma idosa de 75 anos. O caso aconteceu dentro de uma agência bancária, no bairro Xaxim.

Eles abordaram a senhora dizendo que eram ganhadores de um prêmio, mas que precisavam de uma ajuda financeira de R$3 mil para o dinheiro ser liberado. A idosa chegou à agência e notou que não havia dinheiro em sua conta e, para ajudar o casal, decidiu realizar um empréstimo. Uma funcionária da agência achou a movimentação suspeita e acionou as autoridades.

Uma equipe de investigação se deslocou até o local, na Rua Francisco Derosso e localizou a vítima. A princípio a senhora não quis denunciar o casal, já que não suspeitava deles. Por conta disso, a equipe policial ficou aguardando a movimentação da dupla, que foi presa em flagrante, mas somente mediante a uma perseguição policial que durou cinco quilômetros. Eles tentaram fugir em um veículo Brava.

Segundo a delegada Vanessa Alice, da Delegacia de Estelionato, eles chegaram a ferir uma policial e quase atropelaram a vítima do golpe.

“Foi uma perseguição bastante perigosa, eles jogaram o carro em cima da viatura e só pararam quando a equipe policial atirou no pneu do veículo, que bateu em um muro de uma casa. A princípio eles não têm passagem pela polícia, mas com certeza outras vítimas devem aparecer”, relatou a delegada.

A Polícia acredita que o casal agia há mais de um ano na capital. Eles estão a disposição da justiça e devem responder pelos crimes de estelionato e tentativa de homicídio. Se condenados, podem pegar mais de sete anos de prisão.

Golpe

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

O golpe é bastante conhecido pelas autoridades. Geralmente os bandidos abordam uma vítima, fingindo que ganharam um prêmio, mas que não sabem como retirar o dinheiro. A delegada Vanessa Alice alerta que o golpe pode ser aplicado de diversas formas e que é preciso cuidado.

“Dinheiro fácil não cai do céu, não pode cair na lábia dessas pessoas. Isso não existe, bilhete premiado só é trocado na Caixa Econômica Federal. Não há outra forma”, ressaltou.