A primeira audiência de instrução do processo sobre a morte do jogador Daniel Corrêa de Freitas, ontem, começou com mais de uma hora de atraso, por volta das 14h40, e durou cerca de seis horas. Nesta fase, estão sendo ouvidos os depoimentos das testemunhas de acusação. No total, são 77 testemunhas que devem prestar depoimento nos próximos dias, sendo 14 de acusação e, as demais, convocadas pela defesa.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

O primeiro a falar foi Lucas Mineiro, jovem que era amigo do jogador Daniel. Depois, falaram os irmãos Gustavo e Eduardo Purkote, testemunhas sigilosas, antes de encerrar o primeiro dia de trabalhos no Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O advogado da dupla, Ricardo Dewes, não falou com a imprensa.

A previsão inicial era de que as audiências se estendessem até amanhã, mas pela quantidade de gente que ainda resta para depor, a probabilidade é que se estenda até pelo menos a sexta-feira.

Advogado ausente

Rodrigo Faucz Pereira e Silva, responsável pela defesa dos acusados David Willian Vollero da Silva e Ygor King, não esteve na audiência de ontem e, em nota, fez duras críticas à juíza do caso, Luciani Regina Martins de Paula, da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais. Segundo ele, é “direito de qualquer acusado ser defendido por um advogado de sua confiança e o juízo cerceou indevidamente o exercício profissional, o que poderá ocasionar na nulidade de toda a audiência”.

Com defesa de sua tese de doutorado marcada previamente para ontem, em Minas Gerais, o defensor cita que era de conhecimento do juízo o compromisso já agendado, e que chegou a sugerir a antecipação da data da audiência, o que foi indeferido. “É lamentável que direitos fundamentais previstos na Constituição estejam sendo violados desde o início da ação penal”, complementou.

Primeira testemunha

O primeiro a ser ouvido foi o amigo de Daniel, Lucas Mineiro, que falou sobre as ameaças que sofreu e o que presenciou do crime. Segundo seu advogado, Jacob Filho, o início do depoimento foi marcado pela confusão, que se instaurou com um “choque” entre o promotor do caso e Cláudio Dalledone Jr., que defende a família Brittes.

Na sequência, de acordo com o advogado, o jovem reafirmou tudo o que já tinha dito ao delegado do caso, Amadeu Trevisan, mas revelou que Mineiro excluiu Allana e Cristiana Brittes das agressões, já que não teria visto as duas envolvidas no crime.

Desde que procurou a delegacia da cidade para prestar depoimento, ele e a família vivem sob ameaças, e hoje não moram mais no Paraná, tendo se mudado para um local que consideram seguro.

Família Brittes

Isolados um do outro na prisão, a família teve o primeiro contato desde que os três foram detidos, no começo de novembro do ano passado. Apesar de estarem juntos, o contato foi mínimo, de acordo com testemunhas, já que estavam na sala da juíza.

Sobre o depoimento, Dalledone se mostrou otimista com o que ouviu, já que acredita que tudo o que foi dito corrobora com a tese de que Allana e Cristiana não participaram do crime e, de certa forma, até tentaram evita-lo. “Estou surpreso de maneira positiva com as oitivas. Longe da pressão da delegacia, as testemunhas falaram muitas coisas boas que defendem a família Brittes. Todas as testemunhas firmaram que Cristiana não se envolveu com o crime e tentou, de alguma forma, evitar que o marido cometesse”, afirmou.

Mãe

Hoje, deve ser ouvida a mãe do jogador, Eliane Aparecida Corrêa Freitas e sua irmã – que era madrinha de Daniel – Iolanda Regina. A mãe pediu à juíza para depor na presença dos réus, para poder mostrar toda a dor que lhe foi causada pelo crime, algo que será concedido após um acordo entre os advogados. Ficou acertado que elas farão a oitiva na presença dos acusados, mas que terá que manter o respeito que a Corte e a magistrada exigem.

Segundo Nilton Ribeiro, advogado da família do jogador Daniel, Eliane e Iolanda são pessoas educadas e “vão tratar a situação com muita humanidade, mesmo diante de toda a crueldade que foi feita com o ente de sua família”.

+ Confira o desenrolar dos acontecimentos:

Outubro

Sábado (27): Ex-jogador do Coritiba é encontrado morto em São José dos Pinhais

Quarta (31): Corpo de Daniel é velado em Minas Gerais

Quarta (31): Daniel foi espancado antes de ser morto, diz testemunha

Novembro

Quinta (1): Suspeito de matar ex-jogador é preso, junto com esposa e filha

Sexta (2):  Perícia na casa onde ex-jogador foi agredido antes de ser morto pode revelar detalhes do crime

Sexta (2): Conversas de Whatsapp apontam que filha de suspeito fez contato com família de jogador

Sábado (3): Saiba em que condições está presa a família Brittes, acusada da morte do jogador Daniel

Segunda-feira (5): Rapazes que testemunharam morte do ex-jogador Daniel devem depor nesta semana

Segunda-feira (5): Cris e Allana Brittes prestam depoimento sobre morte de Daniel. Caso tem novidades!

Terça-feira (6): “A família está mentindo”, diz delegado após depoimento de mãe e filha

Terça-feira (6): Mãe e filha contam detalhes sobre a morte de Daniel em depoimentos; leia na íntegra!

Terça-feira (6): Novos depoimentos desmentem estupro do jogador Daniel

Quarta-feira (7): ‘Daniel foi assassinado com requintes de crueldade’, diz promotor

Quarta-feira (7): Celular de Cris Brittes é entregue à polícia

Quarta-feira (7): Veja o que Edison Brittes disse à polícia em depoimento nesta quarta

Quinta-feira (8): Dois suspeitos de ajudarem Edison Brittes nas agressões contra jogador se apresentam

Quinta-feira (8): Cris e Allana Brittes são transferidas para presídio feminino em Piraquara

Sexta-feira (09): Moto ostentada por Brittes era de traficante, diz delegado

Sábado (10): Família Riqueza: festa de aniversário de Allana Brittes custou R$ 30 mil

Domingo (11): Celular usado por Edison Brittes para dar pêsames é de um homem morto

Domingo (11): Imagens mostram Edison Brittes combinando mentira sobre morte de jogador Daniel

Segunda-feira (12): O que ainda não foi respondido sobre a morte do jogador Daniel

Terça-feira (13): Mãe do jogador Daniel registrou mentiras contadas por Allana em cartório

Quarta-feira (14): Envolvido na morte do ex-jogador Daniel tem contrato rescindido com o Paraná Clube

Quinta-feira (15): Legítima defesa? Entenda os detalhes jurídicos envolvendo o ‘Caso Brittes’

Quinta-feira (15): preso 7º envolvido na morte do jogador Daniel

Sexta-feira (16): Edison proibiu testemunha de chamar ambulância que poderia salvar jogador 

Segunda-feira (19): Carro utilizado por Edison pra levar jogador até o local de crime está em nome de policial

Segunda-feira (19): Não sou amigo da família Brittes, diz Recalcatti à imprensa

Segunda-feira (19): Ministério Público abre investigação paralela contra Edison Brittes

Segunda-feira (19): ‘Estou bem, não sofri nenhum tipo de ameaça e agressão’, diz Edison Brittes, dentro da prisão

Terça-feira (20): Justiça nega pedido de liberdade de Cristiana Brittes, esposa de assassino de jogador

Terça-feira (20): Após o crime, Allana Brittes combinou “festinha” com testemunha

Quarta-feira (21): Sete são indiciados por morte do jogador Daniel. “É um psicopata”, diz delegado sobre assassino

Quinta (22): Saiba detalhes da morte do jogador Daniel revelados nos laudos do IML

Segunda-feira (26): Cristiana Brittes será denunciada por homicídio pela morte de Daniel

Terça-feira (27): Após mentir em depoimento, ficante do jogador Daniel é denunciada pelo MP

Quarta-feira (28): Acusação contra Cris Brittes é uma ‘aventura jurídica’, diz defesa

Dezembro

Sexta-feira (14): Ouça! Policial dá conselho a Brittes logo após a morte do jogador Daniel

Quarta (19): Cristiana Brittes tem pedido de prisão domiciliar negado pela Justiça

Janeiro

Quinta (10): Defesa apela ao TJ para tentar tirar Cris e Allana Brittes da cadeia ainda em janeiro

Segunda (18): Mãe do jogador Daniel chega e pede para depor em frente ao assassino do filho

Justiça determina que 27 pessoas devolvam milhões à UFPR por desvios em programa de pesquisas