O corpo do motorista da Uber Valmir Nichel foi encontrado no início da noite deste domingo (13), no leito Rio Iguaçu, perto de uma ponte na Rua da Balsa, bairro Cachoeira, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Ele desapareceu na noite de sábado (12), enquanto estava trabalhando. Familiares e alguns colegas, que também são motoristas de aplicativo, confirmaram a morte de Vilmar e lamentaram o fim trágico dele.

A Polícia Militar foi ao local e a Polícia Civil foi acionada por volta das 19h deste domingo. Uma equipe do Instituto Médico-Legal (IML) também seguiu para o local onde o cadáver foi encontrado para fazer o recolhimento. A causa da morte ainda não foi confirmada pelas autoridades.

Carro incendiado

O veículo que Vilmar usava para trabalhar foi encontrado durante a tarde, totalmente queimado, no bairro Alto Boqueirão, em Curitiba. O automóvel, um Nissan Livina, foi localizado na Rua Expedicionário Francisco Pereira dos Santos, na altura do número 2023.

O desaparecimento do motorista havia sido publicado pela família dele nas redes sociais, horas antes do carro ser encontrado. Segundo a publicação, Valmir Nichel teria sumido por volta das 20h de sábado, tendo visualizado o Whatsapp pela última vez às 22h.

Leia mais: Paraná é o estado com mais mortes de motoristas de aplicativos em 2018

Em tom desesperado, a filha do motorista pedia ajuda de amigos.  “Gente, me ajudem por favor!!! Meu pai está desaparecido desde ontem às 20h. Última vez que visualizou o whats, 22h ele é do Uber, carro Livina preto, placa AUG-1918. Nome Valmir Nichel. Obrigada!” (sic).

Em nota enviada à Tribuna do Paraná, a Uber disse: “Estamos muito entristecidos em saber que Valmir Nichel foi vítima desse crime terrível. Compartilhamos nossos sentimentos de mais profundo pesar com sua família. A Uber vai colaborar com as investigações, na forma da lei, e esperamos que as autoridades tragam o responsável à justiça o mais rápido possível”.

Problema crônico

Os casos vêm se tornando rotina em Curitiba, que é a capital que mais registra crimes contra a vida de motoristas de apps. De acordo com a Associação Brasileira dos Motoristas Autônomos por Aplicativo (Abmap), foram três casos de assassinatos apenas em 2018, número igual aos registrados em conjunto por duas das capitais mais violentas do Brasil, Rio de Janeiro e São Paulo.

https://tribunapr.uol.com.br/noticias/curitiba-regiao/carro-incendiado-pode-ser-de-motorista-desaparecido-na-vespera-do-dia-das-maes/