O assassinato da diarista Tereza de Lara, 49 anos, no feriado do Dia do Trabalho, quarta-feira (1), segue sendo um mistério para a família. Ela foi encontrada morta em sua casa em Itaperuçu, na Região Metropolitana de Curitiba.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

No fim da tarde, socorristas do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (SIATE) foram chamados para atender uma ocorrência na Rua Leomar Pedroso de Moraes, no bairro São Domingos. Ao chegarem ao local, a vitima já se encontrava em óbito com várias facadas pelo corpo – na perna direita, mão esquerda e ombro.

A Polícia Militar foi acionada e prontamente iniciou a investigação. Para a família da diarista, o caso pode ser de roubo na residência até porque ela tentou se defender do autor das facadas.

Marido na Delegacia

O marido de Tereza de Lara foi o primeiro a encontrar o corpo e no desespero colocou as mãos na esposa. Com as mãos cheias de sangue entrou em contato com as autoridades. Depois, prestou depoimento na delegacia de Rio Branco do Sul e foi liberado. A polícia não revelou se ele é suspeito do crime e não ofereceu detalhes sobre o que ele teria contado.

Polícia acha plantação de maconha em casa de médico em Curitiba