Dois homens foram presos em Arapongas nesta quinta-feira (2) por extorsão a um empresário da cidade. Um deles era funcionário da vítima e arquitetou o crime, desvendado por policiais do Grupo Tigre (Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial), unidade de elite da Polícia Civil.

O caso começou há um mês, quando um empresário, com atuação em diversos ramos comerciais de Arapongas, recebeu uma carta solicitando o pagamento de R$ 250 mil para que nada acontecesse com ele, a família dele e respectivo patrimônio. A carta continha descrições minuciosas de parentes e da rotina da vítima. O prazo para o pagamento seria de 20 dias.

No dia 26 de janeiro, houve uma ligação estabelecendo mais dez dias para a entrega do dinheiro, sob a ameaça de a vítima “pagar pelas consequências”. Três dias depois, policiais civis de Arapongas entraram em contato com o Tigre, que começou a investigar o caso juntamente com a 22.ª Subdivisão Policial de Arapongas.

Funcionário

As suspeitas recaíam sobre um funcionário da vítima e os policiais chegaram a Wellington Fernando Faleiros Pires, de 34 anos, que trabalhava como eletricista para o empresário. As investigações apontaram também a participação de Ruy Guilherme de Oliveira Pinheiro, 27, desempregado e primo da esposa de Pires.

Com eles foi apreendido o celular usado para fazer as ligações fazendo ameaças bem como o caderno com o rascunho da carta enviada ao empresário.

Problemas financeiros

Pires assumiu as extorsões contra o empresário e alegou que as fez por problemas financeiros. “Chama a atenção a frieza dos perpetradores do crime, que convivendo com a vítima, mantiveram seus hábitos normais, monitorando as suas reações como se nada estivesse acontecendo”, afirmou o delegado coordenador do Tigre, Luis Fernando Artigas Jr.

O delegado do Tigre alerta para que, em casos similares, as vítimas entrem em contato imediatamente a polícia e não cedam à demanda de dinheiro. “Se pagarem os valores solicitados, não só prejudica a investigação, como se tornam alvos preferenciais dos marginais”, explicou Artigas.