Um crime de feminicídio contra Ana Cristina Borges, de 39 anos, morta a facadas pelo próprio companheiro na frente de uma criança, de 3 anos, filha do casal, foi esclarecido por policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Curitiba, após a prisão do suspeito, realizada na noite de quarta-feira (06).

O homem identificado como Erick Tardim Oliveira, de 37 anos, foi encontrado por volta das 23h30, perambulando no estacionamento de um supermercado situado no Centro da capital, nas proximidades da Praça Osório. O suspeito não esboçou reação no momento da prisão e confessou o crime à polícia.

Os fatos ocorreram na madrugada da última terça-feira (05), na casa do casal, no bairro Cajuru. Segundo investigações, o homem teria assassinado Ana Cristina com uma faca de cozinha, efetuando um golpe no pescoço da vítima na frente da filha do casal de 3 anos. Depois do crime, o suspeito trocou de roupa e fugiu. A criança passou horas ao lado do corpo da mãe.

Erick Tardim Oliveira, de 33 anos, foi encontrado por volta das 23h30, perambulando no estacionamento de um supermercado situado no Centro da capital. Foto: Gerson Klaina.
Erick Tardim Oliveira, de 33 anos, foi encontrado por volta das 23h30, perambulando no estacionamento de um supermercado situado no Centro da capital. Foto: Gerson Klaina.

As investigações iniciaram assim que o corpo da vítima foi encontrado na casa. “No local localizamos a faca utilizada para a prática do crime. As digitais encontradas na arma branca coincidem com a do suspeito”, conta o delegado-titular da DHPP, Fabio Amaro.

A equipe policial da DHPP, com apoio da Polícia Militar, chegou até o investigado depois que recebeu denúncias anônimas sobre a sua localização. Na delegacia o homem confessou o crime à polícia e disse que não lembrava exatamente como teria ocorrido os fatos, por estar sob efeito alcoólico.

O homem disse ainda que matou a vítima por ciúmes. As roupas usadas pelo suspeito no dia do crime também foram apreendidas. O casal possuía uma união estável há cerca de cinco anos.

O suspeito responderá pelo crime de feminicídio. Caso seja condenado pode ser condenado em até 30 anos de prisão. O suspeito está à disposição da Justiça.

Roupas com marcas de sangue foram abandonadas por Erick logo após o crime contra Ana Borges, na última quarta-feira. Foto: Reprodução/Polícia Civil.
Roupas com marcas de sangue foram abandonadas por Erick logo após o crime contra Ana Borges, na última quarta-feira. Foto: Reprodução/Polícia Civil.