Um estuprador está à solta. É essa a informação que corre entre grupos de WhatsApp dos moradores do Jardim Itália, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O homem, que seria jovem e tem uma falha num dos dentes da frente, fez uma vítima na manhã de terça-feira (9). A mulher, uma catadora de materiais recicláveis que tem 47 anos, além de ser violentada, ainda foi agredida pelo homem.

O crime aconteceu logo no começo da manhã, pouco antes das 7h. Uma moradora da região, que preferiu não se identificar, prestou apoio à mulher depois que ela foi atacada. “Ela estava com o marido começando a recolher materiais recicláveis da rua. O marido dela estava de bicicleta e ela com o carrinho, por isso ele foi mais rápido, na frente, e ela atrás, um pouco mais devagar”, contou.

+Leia mais! Homem morre atropelado por ligeirinho em BR que corta Curitiba

Enquanto andava por uma das ruas entre as Moradias Trevisan e o Jardim Eldorado, a mulher foi abordada pelo homem que saiu do meio do mato. “Como é um lugar onde tem muitos drogados, ela inicialmente não deu moral, porque pensou que ele não iria até ela. Mas ele foi. A abordou, segurou e a levou para o meio do matagal”, detalhou a mulher.

Dentro do mato, para conseguir estuprar a mulher, o homem a segurou pelo pescoço e a agrediu. “Ela ficou um bom tempo nas mãos dele, porque quando conseguiu sair de lá, já era mais de 7h e ela estava muito atordoada. O pescoço muito inchado, porque ele segurou e apertou forte para que ela perdesse a força”.

A Polícia Militar (PM) foi chamada e encaminhou a mulher até a Delegacia da Mulher e do Adolescente, em São José dos Pinhais. “Ela recebeu esse acolhimento, foi levada ao Instituto Médico-Legal (IML) e também passou por atendimento médico num hospital. Vai ser acompanhada por seis meses e vai precisar tomar alguns remédios”, disse a mulher.

Segundo os moradores, o homem que estuprou a catadora de materiais recicláveis não foi encontrado pelas equipes da PM, mas já até foi visto por outros moradores do bairro, que ainda não sabiam do crime. “Pouca gente soube, por isso começamos a mandar nos grupos contando e alertando que o crime aconteceu, para que mais gente tome conhecimento e possa ajudar a encontrar esse homem, porque ele continua solto e pode agir de novo”.

Conforme os relatos da própria vítima, o homem era moreno, alto e tinha cabelo crespo/ondulado. “Outro detalhe importante é que ele tinha uma falha em um dos dentes da frente, o que pode ser importante para que as pessoas o reconheçam”, disse a moradora, detalhando ainda que no momento do crime ele usava roupas rasgadas e estava sem chinelo. “É um morador de rua, com certeza, mas que fica no bairro e continua aqui na região”.

Mulheres em alerta!

Em grupos criados nas redes sociais muitas mulheres do bairro estão alertando para o risco naquele local. “Fica um alerta para as mulheres que passam cedo por ali. Tomem muito cuidado e se possível evitem andar sozinhas. Pois além de mulheres, passam crianças por este local, já que o trecho é caminho para uma escola municipal e também um posto de saúde”, diz uma postagem do grupo após o caso envolvendo a catadora de mariais recicláveis.

Denuncie!

Pela força que agiu, a vítima acredita que o homem seja jovem. A reportagem da Tribuna do Paraná procurou a Polícia Civil, que confirmou o atendimento à catadora de materiais recicláveis e informou que está apurando a situação. De imediato, a preocupação dos investigadores era fazer com que a mulher recebesse todo o atendimento necessário para evitar que pegasse até mesmo doenças contagiosas.

Você sabe de alguma coisa?

Denúncias podem ser passadas diretamente para a Delegacia da Mulher e do Adolescente, pelo telefone (41) 3753-2050, ou ainda pelo 181.

Família de Curitiba vai à Tailândia buscar tratamento de células tronco pro filho