O ex-prefeito de Piên, Gilberto Dranka, e outras três pessoas – suspeitas de envolvimento na morte do prefeito eleito da cidade, Loir Dreveck – agora são réus no caso. A denúncia do Ministério Público foi aceita pelo juiz Rodrigo Morillos, da Vara Criminal de Rio Negro, na Região Metropolitana de Curitiba. As informações são do Paraná TV 2ª Edição.

De acordo com o telejornal, além de Dranka, o atual presidente da Cêmara de Vereadores da cidade, Leonides Maahs, o empresário Orvandir Pedrini e Amilton Padilha se tornaram réus por crimes como associação criminosa e homicídio qualificado. A Justiça determinou que os acusados fiquem presos preventivamente.

Prisão no forro da própria casa

Dranka foi preso no dia 31 de janeiro e, antes de ser levado por policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), ele tentou se esconder no forro da própria casa. A operação da unidade de elite da Polícia Civil prendeu outras duas pessoas, quem teria executado o crime e quem intermediou o assassinato. O homem que atirou contra o prefeito ainda é suspeito de matar por engano outra pessoa. Ele teria atirado contra um homem, dias antes, achando que se tratava do prefeito eleito.

Desde o dia em que o prefeito eleito foi baleado, na cidade de Piên os comentários eram de que o ex-prefeito teria participação no crime. Dranka era conhecido na cidade pelas polêmicas que se envolvia. Em outubro de 2016, por exemplo, foi parar na delegacia depois de ter apontado uma arma para um servidor concursado da prefeitura que ainda administrava.

Loir Dreveck foi assassinado quando ia para Santa Catarina em uma possível emboscada. Foto: Reprodução.
Loir Dreveck foi assassinado quando ia para Santa Catarina em uma possível emboscada. Foto: Reprodução.

Prefeito eleito foi vítima de atentado

Dreveck morreu no dia 17 de dezembro, três dias depois de ser baleado na cabeça. Ele foi alvejado quando viajava para Santa Catarina, pela PR-420. Dreveck estava em um carro da prefeitura, com a família, quando foi surpreendido por um motociclista que disparou contra ele.

O prefeito eleito foi atingido na cabeça e encaminhado em estado grave ao Hospital e Maternidade Sagrada Família, em São Bento do Sul, Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos.