Bandidos fortemente armados tocaram o terror na madrugada desta sexta-feira (5) em Pien, cidade da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) e que fica a mais de 80 quilômetros da capital. Cerca de quinze homens atacaram três dos quatro bancos da cidade. Na fuga, ainda teriam matado uma pessoa que não tinha nada a ver com a situação.

Leia mais! Preso suspeito de matar cabeleireiro, que foi encontrado dentro de armário

Segundo a polícia, os marginais atiraram por cerca de 30 minutos contra o destacamento da Polícia Militar (PM) para impedir que os policiais saíssem. Todos os acessos à cidade foram bloqueados pelo bando, que atacou agências do Itaú, Bradesco e Sicoob.

Pelo menos 15 homens participaram da ação, que aterrorizou a cidade que tem pouco mais de 20 mil habitantes. Uma moradora, que preferiu não se identificar, relatou ‘cenas de terror’ durante a madrugada. “Ouvi todo o tiroteio e durou mesmo quase 30 minutos. Ouvi bombas estourando, foi muito tenso. Imaginava que era um assalto, mas não pensei que poderia ser em três agências. Pareciam que estavam detonando a nossa cidade”, disse a mulher.

Viu essa? Você conhece o vice do seu candidato a governador? Veja quem são!

Depois que os policiais finalmente conseguiram sair do destacamento, pois além dos tiros os bandidos também espalharam miguelitos (aqueles ferros retorcidos que furam os pneus dos carros), as equipes da PM começaram a fazer buscas na região. Os bandidos escaparam e, segundo os relatos dos moradores, estavam em quatro carros. Ninguém foi preso.

Foto: Colaboração.
“Paraná” morreu dentro do Uno de uma empresa de vigilância. Foto: Colaboração.

Morto no caminho

O ataque às agências bancárias aconteceu por volta das 4h. Na fuga, quando os bandidos passavam por Agudos do Sul, também na RMC, teriam atirado e matado um homem que não tinha nada a ver. Ele era colaborador do jornal O Repórter, de Fazenda Rio Grande, que confirmou a informação do crime.

Segundo o jornal, os bandidos efetuaram diversos disparos contra o veículo em que estava Neilor Pinto, conhecido como ‘Paraná’, de 53 anos. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu antes mesmo da chegada do socorro, dentro do carro, que era de uma empresa de vigilância e pode ter sido confundido pelos bandidos. Veja o desabafo postado nas redes sociais do jornal:

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Bolsonaro não comparece a debate, mas aparece em entrevista na Record na mesma hora